No domingo (18), uma mulher do Condado de Harris, situado no Texas, foi acusada pelas autoridades dos Estados Unidos de ter matado a sua própria filha de apenas quatro anos de idade utilizando uma faca. Naquele país, crimes envolvendo crianças como vítimas fatais recebem a nomenclatura capital murder (algo como "assassinato gravíssimo" em tradução livre), e dependendo do Estado americano em que são cometidos, podem ser punidos com a pena de morte – exatamente o caso do Texas.

Promotores de justiça afirmaram publicamente que Laquita Lewis, de 34 anos de idade, desferiu vários golpes com uma arma branca diretamente no peito de Fredricka Allen, e deixou-a para morrer no quarto principal de sua casa.

Publicidade
Publicidade

Ainda não está claro o que levou Lewis a praticar tal ato de violência, mas Randy Sample, um parente da mulher, afirmou que ela havia discutido com o pai da pequena vítima, Fredrick Allen, um pouco antes de esfaquear a menina. Segundo o site de notícias KHOU, Sample declarou: "É a pior notícia que você deseja ouvir sobre um membro da família – especialmente alguém dessa idade. É devastador".

De acordo com investigadores que trabalharam no caso, após cometer o assassinato Laquita Lewis deixou a cena do #Crime e acabou se envolvendo em um acidente automobilístico. Ela foi levada para um hospital, e enquanto estava sendo atendida enviou mensagens de texto com o celular para a sua família, onde confessava que havia machucado Fredricka e pedia desculpas pelos seus atos.

Cena do crime chocou as autoridades

Ao receberem as mensagens, os parentes de Fredricka ficaram preocupados com seu estado de saúde, e contataram o escritório do xerife do Condado de Harris.

Publicidade

Os oficiais chegaram à residência por volta das 21h:00min (horário local), e encontraram a menina, que já estava morta a algumas horas, deitada no chão.

Segundo a rede de notícias KHOU, a cena do crime era tão devastadora que alguns religiosos foram até o local para tentar consolar tanto os membros da família de Fredricka quanto os policiais que encontraram seu corpo. Thomas Gilliland, porta-voz das autoridades, afirmou que “não existem palavras para descrever a terrível morte desta criança”.

Laquita Lewis já possuía um histórico de ameaça a parente usando arma branca. Em novembro do ano passado, no dia de Ação de Graças (24 de novembro), a mulher havia ameaçado seu filho de 16 anos com uma faca, e por este ato foi sentenciada em fevereiro a 15 meses de detenção.

No entanto, Lewis fez um teste chamado Texas Risk Assessment System, que avalia se um detento pode ser colocado em liberdade condicional, e ela passou a ter direito a este benefício ao tirar a nota mais baixa (zero) no exame – o que indicava uma possibilidade mínima de reincidência no crime. #EUA #Investigação Criminal