Uma menina mórmon de 12 anos corajosamente levantou-se na frente de membros da igreja de Utah para dizer-lhes que era gay mas, após alguns minutos de discurso, membros da entidade religiosa cortaram o seu microfone e pediram que ela se sentasse.

Savannah revelou aos frequentadores da igreja no condado de Utah, ao sul de Salt Lake City, no mês passado, que ela era lésbica e disse que estava orgulhosa que Deus a tivesse feito desse jeito. Mas antes de ser interrompida, a jovem fez um pequeno discurso sobre seu #Relacionamento com sua #sexualidade. De pé atrás de um púlpito na frente de sua congregação, Savannah leu seu discurso preparado.

Publicidade
Publicidade

"Oi, meu nome é Savannah e quero compartilhar meu testemunho com você. Eu acredito que fui feita do jeito que eu sou, todas partes de mim, pelos meus pais celestiais. Eles não erraram quando me deram sardas ou quando me fizeram ser gay. Deus me ama apenas assim porque acredito que ele ama todas as suas criações".

Em um vídeo de seu discurso, é possível ouvir pessoas murmurando enquanto Savannah continuava a falar sobre sua sexualidade. Ela falou livremente e bravamente até que o microfone, de repente, parou de funcionar. A jovem ficou confusa - no vídeo é possível vê-la rapidamente tocando no microfone. Segundo ela, o microfone tinha quebrado. Mas dois oficiais da igreja sentados nas proximidades pediram que ela se sentasse.

No vídeo, é mostrado Savannah recolhendo seu discurso e se afastando, enquanto os dois oficiais sussurram freneticamente.

Publicidade

Um dos homens então se levanta e dirige-se à congregação. Milagrosamente, não houve problema com o microfone quando ele levou para o púlpito. O líder da igreja não mencionou o discurso de Savannah e continuou a liderar a congregação em oração.

"Espero encontrar um parceiro e ter um excelente trabalho. Espero me casar e ter uma família e ser feliz", disse a jovem. A mãe da jovem, identificada como Heather, relatou que está orgulhosa da filha que tem.

Veja o vídeo do discurso da adolescente

"Ela é valente e corajosa. Eu teria ficado aterrorizada de me levantar e dizer algo tão importante pra mim por medo do que as pessoas pensam. Estou orgulhosa dela, mesmo agora, ela não quer que nada disso seja sobre ela, ela quer que isso seja sobre proteger outras crianças LGBT. Ela quer que sua história seja contada para que isso não aconteça com outras crianças. Ela disse que está feliz e triste com a coisa toda. Feliz porque ela 'se sente livre', feliz porque podem olhar para ela como uma pessoa gay e ver que ela não é diferente de qualquer outra pessoa. Ela está triste porque ela ia compartilhar uma história onde a igreja a aceitou sem dúvida", disse a mãe da jovem. #Religião