Inês Alves, de 16 anos, é uma das sobreviventes do incêndio na torre Grenfell, em #londres. A adolescente é portuguesa e vive na Inglaterra com os pais e o irmão mais velho Tiago, de 20 anos. Ela e toda sua família conseguiram se salvar, mas a menina não saiu de casa sem antes pegar em seus apontamentos da #Escola. É que no dia seguinte ela tinha prova importante de química, e ela não iria querer perder, apesar de ter ficado com sua casa destruída pelas chamas.

A jovem Inês estava no apartamento, no 13º andar, ainda estudando para a prova, quando os seus pais chegaram de um jantar, dizendo para eles saírem rápido, que o prédio estava ardendo.

Publicidade
Publicidade

Sem tempo para pensar em mais nada, Inês vestiu uma calça e um top, ela que estava já em pijama, e pegou só em seu celular e nos apontamentos para estudar química.

A família saiu correndo, mas nesse momento ela ainda não estava imaginando o pior, pensando que pudesse ser um #Incêndio de menores dimensões. Infelizmente, o fogo se agravou e o cenário é catastrófico. Inês não voltaria a entrar mais a sua casa e não dormiu toda a noite de quarta-feira (14), ficando na rua aguardando por melhores notícias e estudando mais um pouco.

Na manhã seguinte, após todo o pesadelo, Inês foi na escola fazer a prova de química. Afinal, ela não poderia fazer nada mais por sua casa, mas poderia fazer por seu futuro. E foi isso que ela ficou pensando. "Eu preciso de uma boa nota. Então, eu estava pensando em meu futuro quando eu decidi fazer a prova", contou Inês, em declarações ao jornal Mirror.

A família da adolescente perdeu quase tudo o que possuía, mas conseguiu sobreviver contrariamente a muitos de seus vizinhos, que perderam suas vidas nesse trágico incêndio.

Publicidade

A família Alves vivia no 13º andar e ainda conseguiu alertar alguns moradores. Muitas pessoas estavam já dormindo quando o prédio começou arder em chamas. Como a torre não tinha alarme de incêndio, algumas pessoas não perceberam as chamas.

Até ao momento, já foram confirmadas 17 mortes, mas algumas pessoas estão internadas em estado crítico e existe um número incalculável de pessoas que ainda não foram retiradas da torre, e que poderiam estar todas mortas. Na torre Grenfell moravam entre 400 a 600 pessoas, quando o prédio começou ardendo após uma explosão de uma geladeira no 4º andar.

O jornal Mirror divulgou que poderiam estar em seus apartamentos perto de 100 pessoas, que não teriam sido capazes de se salvarem. Depois da tragédia da madrugada de quarta-feira, começa chegar a solidariedade.

As cantoras Adele e Rita Ora estiveram no local, distribuindo abraços entre as vítimas e ajudando na entrega de comidas e roupas, que estão chegando. Também o príncipe William e Kate Middleton estiveram homenageando as vítimas e são muitas as pessoas, famosas e anônimas que vão tentando ajudar.

Todas essas famílias ficaram sem nada, incluindo sem um teto para viver. A premier Theresa May prometeu uma investigação detalhada a esse incêndio.