São muitos os problemas que podem levar a um derrame cerebral, mais conhecido como #avc (Acidente Vascular Cerebral). São eles ligados a doenças como diabetes, hipertensão, obesidade, o uso de anticoncepcionais e outros parecidos. Porém, o que aconteceu com essa #Mulher na Inglaterra, até para os médicos, foi algo inédito e inacreditável.

A britânica Lucinda Allen, de 38 anos, sofreu um AVC após ter tido uma relação sexual com o seu esposo. Após o ato, a mulher começou a sentir dores de cabeça muito fortes, essas que acabaram evoluindo para uma grave hemorragia cerebral que a deixou em coma. Como consequência do derrame ela, até os dias atuais precisa de uma cadeira de rodas para se locomover.

Publicidade
Publicidade

A notícia foi compartilhada pelo site do jornal Daily Mail que informou que no momento da tragédia, Lucinda estava no sexto mês de gestação. A gravidez da moça, até aquele momento, já estava sendo levada de um modo bem difícil, já que ela havia desenvolvido diabetes gestacional.

Como forma de tentar controlar a doença, ela fazia exercícios e dietas especificas. Além disso, ela sempre media a pressão arterial como forma de prevenção. Era sábado quando o AVC aconteceu.

Lucinda conta que naquela manhã, assim como fazia na maioria dos dias, ela havia verificado a sua pressão, que por sinal, estava baixa. Por isso, ela resolveu voltar para a cama para ficar com o seu marido.

Após a relação sexual que fez com o esposo, ela começou a sentir fortes dores na cabeça, mas, para ela, nada estava fora do normal, já que ela sempre sentia o mesmo sintoma todas as vezes que conseguia alcançar o orgasmo durante o sexo.

Publicidade

Então, ela afirma não ter se preocupado inicialmente, pois segundo ela, a dor era recorrente. Era como se o seu cérebro estivesse congelando, mas não costumava durar por muito tempo. Porém, neste dia, ela notou que estava diferente, que a dor não estava passando e desse modo, começou a aumentar cada vez mais.

A dor era tão insuportável, que a mulher se deitou na cama gritando e chorando em agonia. Foi aí que, depois do conselho da sogra, o esposo ligou para emergência e Lucinda foi levada por uma ambulância para o hospital.

Quando ainda estava no controle de seus movimentos, ela conseguiu escrever em um papel que suspeitava que estava tendo um derrame. Depois de passar por exames, os médicos descobriram que ela estava certa. Depois disso, eles decidiram controlar o seu quadro a induzindo ao coma.

Mesmo depois de passar por uma cirurgia, os médicos constataram que a filha da britânica estava bem. Depois disso, ela só acordou depois de ficar quase uma semana no hospital, mas mesmo assim, teve que ficar internada por mais três meses.

Publicidade

Depois de cinco anos após o susto, Lucinda ainda não tem muita ideia do que pode ter causado o AVC. Porém, o neurologista que a atendeu acredita que ela possa sofrer de algum tipo de anomalia congênita em algum vaso sanguíneo do cérebro. É isso que causa as dores de cabeça que ela sente após o orgasmo e que, consequentemente, pode vir a causar a hemorragia no cérebro. #Grávida