Uma mulher foi presa pela polícia acusada de ter assassinado um homem no último final de semana. A acusada de ter cometido o #Crime foi identificada pelas autoridades locais como Anima Kharia, moradora da aldeia de Saitola, na Índia.

Para a polícia, ela é a principal suspeita de ter matado o próprio sogro apertando os órgãos genitais da vítima. A vítima foi identificada como Gau Kerketta. Conforme informações repassadas pela polícia local, a mulher estava em uma discussão com o esposo, identificado como Bhairaw Kerketta, após ele ter perdido uma briga de galos que estava sendo realizada na aldeia no distrito de Gharla de Jharkhand.

Publicidade
Publicidade

Na ocasião, o casal teve que entregar a ave para o vencedor. Segundo informações divulgadas por imprensa local, quando o casal chegou em sua residência à noite, ambos começaram a brigar por ter pedido o galo. Ainda de acordo com imprensa local, ambos estavam bêbados, pois eles tinham ingerido muita bebida alcoólica.

De acordo com o oficial da estação de polícia de Basia, Ashok Kumar, durante a briga do casal, a vítima tentou acalmar os dois, mas sem sucesso. A mulher, como estava muito nervosa com a situação, agarrou o órgão genital do sogro e o apertou.

Ainda segundo o oficial, a vítima morreu no local antes mesmo do socorro chegar. O corpo da vítima foi levado para o órgão específico para o caso. De acordo com o relatório da autópsia feita no corpo da vítima, o homem morreu de dor e sangramento interno de um testículo estourado.

Publicidade

Em seguida, o corpo foi liberado para os familiares para o sepultamento. Conforme informações repassadas por meios de comunicações, a mulher só foi presa pela polícia nesta segunda-feira (26), quando o incidente foi relatado para a polícia.

Em seu depoimento à polícia, Anima confessou ser a autora do crime, mas justificou que o incidente foi acidental, e não intencional. Conforme a polícia local, a mulher foi transferida nesta terça-feira (27) para uma penitenciária na cidade de Gumla, também na Índia.

Segundo o oficial da polícia de Basia, o casal não foi acusado de participar de uma briga de galo. Ainda de acordo com ele, esse esporte é proibido na cidade de Gharla de Jharkhand.

No dia do incidente, ocorreram vários protestos de ativistas dos direitos dos animais contra a disputa realizada. As autoridades locais não informaram se o esposo da acusada prestou depoimento. A polícia local abriu um inquérito e o caso está sendo investigado. #Investigação Criminal #Casos de polícia