A professora Loryn Barclay, de 24 anos, foi presa acusada de ter relações sexuais com um de seus alunos de 17 anos. A mulher que é moradora da cidade de Washburn, em Missouri, nos Estados Unidos, supostamente teve sexo oral com o estudante adolescente em seu carro, em múltiplas ocasiões, entre novembro de 2016 e janeiro de 2017, enquanto trabalhava como professora substituta no Monett High School. A acusada também admitiu ter relações sexuais com ele duas vezes em sua residência.

Segundo informações divulgadas por meios de comunicação, no domingo (25), a mulher foi acusada de contato sexual com aluno em outros dois municípios.

Publicidade
Publicidade

O agente da polícia da cidade de Monett, Jay Jastal, que trabalha na escola como oficial, foi avisado sobre o relacionamento em 3 de maio. Conforme relatos, Jastal falou com o adolescente, que supostamente confirmou que ele e Barclay tiveram relações sexuais e sexo oral em múltiplas ocasiões entre novembro de 2016 e janeiro de 2017.

As interações ocorreram no Monett North Park no condado de Lawrence, e na residência da família do estudante em Monett, no condado de Barry. No dia seguinte, o policial conversou com a acusada e, supostamente, ela relatou que "teve um relacionamento inapropriado" com um aluno da escola que ela estava trabalhando como professora substituta. Ela disse que teve uma relação sexual com o aluno duas vezes em sua casa, e praticou sexo oral no aluno no North Park, cada um dos incidentes ocorridos entre novembro e dezembro de 2016.

Publicidade

Segundo Jastal disse que falou com David Williams, diretor da escola secundária de Monett, e ele aconselhou o distrito que desejava buscar acusações.

Jastal disse que não acredita que outros estudantes estiveram envolvidos com a acusada. Barclay foi contratada pela primeira vez como substituta em 2016. Ela começou seu papel como assistente de professor em janeiro de 2017, no entanto, ela foi dispensada de seus deveres em 27 de abril. Barclay foi presa e encaminhada para a prisão do condado de Lawrence antes de ser liberada, para responder o processo em liberdade ela teve que pagar uma fiança de 25 mil dólares.

Conforme imprensa local, uma nova audiência está prevista para acontecer o dia 24 de julho. Além disso, ela também é procurada no condado de Barry, onde também foi emitida uma autorização para sua prisão. Esse mandado tem uma obrigação que a acusada tem que pagar 10 mil dólares para o governo. #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia