Alguns veículos de comunicação voltaram a falar sobre a possibilidade real de Hitler estar vivo. "Homem de 128 anos afirma que é #Adolf Hitler", dizem as principais manchetes espalhadas pelo mundo. Tudo começou com a foto do #idoso, que apresentavas traços semelhantes aos de Hitler.

Mas, como tudo isso seria possível? A história, como já é sabido, nos conta que o ditador Hitler e sua esposa, Eva Braun, morreram em Berlim, escolhendo o suicídio a uma possível rendição. Como os corpos nunca foram encontrados, há quem diga, no entanto, que países latino-americanos teriam abrigado o casal fugitivo. Rumores sobre o suposto escape de Hitler para a Argentina logo estouraram.

Publicidade
Publicidade

Apoiadores desse teoria têm, agora, mais uma tese para ser utilizada a favor.

Homem diz ser o verdadeiro Hitler

Na cidade argentina de Salta se encontra um homem idoso que afirma ser o verdadeiro líder #nazista Adolf Hitler. Ele esteve escondido por mais de 70 anos.



O homem chegou à Argentina em 1945, com um passaporte em nome de Herman Gyunterberga. Em entrevista ao jornal local El Patriota, ele admitiu que, de fato, o seu passaporte tinha sido adulterado pela Gestapo no final da guerra.

De acordo com a pesquisa realizada pelos editores do jornal argentino "El Patriota", o velho em questão afirma ter 128 anos e, como ele diz, desde 1945 está escondido na América do Sul. Além da personalidade "verdadeira", o homem também revelou à imprensa como ele conseguiu sobreviver às suspeitas por tanto tempo.

Publicidade

Herman Guntherberg supostamente fugiu da Europa logo após a vitória dos aliados. Ele decidiu revelar a verdade porque "não precisa se preocupar com o perigo causado por parte dos altos comandantes".

"Fui culpado por muitos crimes que nunca cometi. Por isso, tive que gastar mais de metade da minha vida me escondendo dos judeus. Essa foi minha punição", disse.

Esposa nega suposta ligação

Angela Martinez, que foi sua esposa por 55 anos, não acredita que a afirmação de seu marido é verdadeira. Segundo ela, o que o homem apresenta como "lembranças do passado" são de fato sinais claros de uma doença senil.

"Às vezes, ele esqueceria quem eu era e onde ele estava. Ele parecia estar em trance e começaria a falar sobre judeus e demônios", disse.

Guntherberg, segundo especialistas, sofre de demência. Martinez diz que Hermann poderia ter um passado nazista e poderia ter cometido crimes de guerra, mas não acredita que ele possa ser além disso.