Publicidade
Publicidade

O incêndio [VIDEO] que se alastrou no centro de #portugal, já dura mais de dois dias. O fogo atingiu Pedrógão Grande, nas Aldeias e estradas. Mais de mil bombeiros seguem tentando apagar as chamas gigantescas. A #Tragédia deixou 61 pessoas mortas e 62 com ferimentos graves. Os feridos foram levados para hospitais próximos.

De acordo com o jornal regional, este #Incêndio é uma das maiores tragédias registradas no local durante 40 anos. As autoridades disseram que 62 pessoas morreram até o momento, mas a tendência é que esse número aumente. O corpo de bombeiros trabalha à procura de mais vítimas da tragédia. Ainda não se sabe o motivo que deu início ao incêndio.

Publicidade

Havia a hipótese de ser um incêndio criminoso, mas essa chance foi descartada pela equipe que trabalha no local. “Tudo indica que a queimada tenha sido causada pela própria natureza. "Conseguimos ver ‘trovoadas secas’ no local do incêndio”, disse Almeida Rodrigues, diretor nacional da PJ.

Cerca de 1,6 mil pessoas estão trabalhando no local, todos muito chocados com a situação.

As chamas se alastraram pelas estradas entre Figueiró dos Vinhos e Catenha de Pêra. Mais da metade das vítimas fatais foram carbonizadas dentro de seus veículos. Entre os 62 feridos, 18 pessoas foram levadas para o hospital em situação grave. Quatro bombeiros e uma criança estão com alto índice de queimadura no corpo.

Sobreviventes relatam cenas de desespero no local. Várias pessoas correram para salvar suas vidas.

Publicidade

Carros se envolveram em acidentes, bateram um no outro ao tentar retirar seus veículos do local. Neste caso, morreu Rodrigo, 04 anos, e seu tio, Sidel, 37 anos. Eles bateram com seu carro em outro veículos, com a pancada, os dois acabaram falecendo no local. As vítimas do outro veículos, eram três pessoas, elas estão com ferimentos leves e estão bem.

A tragédia começou por volta das 15h de sábado, horário local. Mobilizados pela situação, além dos 1,6 mil pessoas das forças de seguranças, tinham outros veículos para ajudar a combater as chamas. As equipes conseguiram esvaziar três aldeias, antes das chamas chegarem ao local e deixou 150 pessoas desabrigadas.

A intensa fumaça cobriu o céu e dificultou as aeronaves que estavam ajudando a combater as chamas. A região que foi atingida estava muito quente, 40ºC neste dia. A situação, nesta manhã de segunda-feira, continua critica. Várias cidades estão em alerta vermelho. “Foi horrível, nunca pensei em passar por isso”, “Lamentável tudo isso que aconteceu”, “Espero que acabe logo esse filme de terror”, “Que não haja mais vítimas desse incêndio”, disseram alguns sobreviventes e internautas.

O caso mobilizou todo o mundo, várias autoridades de países vizinha, mandaram ajuda para combater a situação.