Gayle Newland, de 27 anos, quase colapsou em #Tribunal, quando escutou que seria declarada culpada. A jovem vai ser novamente presa, após ter usado um brinquedo sexual com que ela manipulou e enganou a sua #namorada. Supostamente, a outra jovem acreditava que estava se envolvendo com um homem, porque ela estava sempre de olhos vendados durante os encontros. Quando descobriu, ela acusou Gayle, que vai agora ser condenada pelo #Crime de abuso, isso depois de ela já ter estado na cadeia por esse mesmo crime.

"Não posso voltar para a prisão", foram as palavras da jovem Gayle, que ficou furiosa quando escutou que seria condenada a prisão.

Publicidade
Publicidade

Ela foi declarada culpada de uma série de agressões sexuais durante um julgamento dramático, em 2013. Ela foi condenada pelo Tribunal de Manchester, na Inglaterra, a oito anos de cadeia, que estava cumprindo, quando saiu no ano passado. Ela foi liberada, mas terá que regressar, de acordo com o novo julgamento desta quinta-feira (29).

Fazia-se passar por um homem

Gayle fingia ser um homem meio-filipino e meio-latino chamado Kye Fortune, e foi sob esse perfil que ela inventou, que ela conseguiu se relacionar com a vítima, durante mais de dois anos. O relacionamento nem sempre foi pessoal, com muito bate-papo virtual, depois de elas se terem conhecido pela internet.

No entanto, elas teriam mantido relações sexuais, por mais de dez vezes, momentos em que Gayle usava um pênis falso, enganando a sua vítima, que não se teria apercebido que estava transando com uma mulher.

Publicidade

O tribunal de Manchester afirmou que ela usava esse disfarce para responder a sua "satisfação sexual bizarra".

Porém, Gayle afirma que a sua suposta vítima soube da verdade o tempo todo. Ela até lhe teria dito que estava apaixonada e que pretendia se casar com ela. Foi nesse sentido de confiança em sua parceira que a outra jovem teria concordado que ela vendasse os seus olhos durante as relações.

Vítima diz que foi enganada

A jovem vítima, uma estudante que tem sua identidade mantida em segredo, disse que só em 2013 é que ela descobriu que, afinal, Kye era uma mulher e que tinha cabelos compridos. Após uma relação íntima, ela contou que retirou a venda e que ficou chocada quando viu Gayle de pé, descobrindo que estava sendo enganada. Foi nesse momento que ela apresentou queixa na polícia.

Depois, a jovem admitiu ter dormido com 19 homens diferentes durante o verão de 2013, insistindo que isso foi sua "reação imprudente", após se ter sentido "estúpida" por ter sido enganada por um pênis falso. "Eu dormi com muitos caras. Eu fiquei bêbada. Eu fiz muitas coisas, quando senti minha vida ruindo", contou a jovem estudante, no tribunal.

A mãe de Gayle Newland, Julie, chorou na galeria do público, no andar de cima do tribunal, enquanto seu pai, Brian, que também havia participado do julgamento, não estava presente no tribunal para os veredictos finais. Gayle vai, então, regressar para a cadeia, por um período de tempo ainda a ser definido pelo juiz.