A internet ficou mais triste nesta sexta-feira (28), ao saber da #Morte de #Charlie Gard, o bebê que era portador de uma rara, chamada de síndrome depleção do DNA mitocondrial. Ele morreu após uma intensa briga na justiça britânica, que dividiu a opinião do mundo.

O #caso de Charlie Gard emocionou a todos e trouxe à tona uma grande batalha legal no Reino Unido. A família do bebê chegou a arrecadar US$ 1,75 milhão (R$ 4,4 milhões) para continuar sua intensa batalha judicial, mas já era tarde para Gard. O bebê morreu sem ter completado seu primeiro ano de vida, o que ocorreria na próxima sexta-feira, 4 de agosto.

Emocionada, a mãe deu uma declaração dizendo que seu menino foi maravilhoso e que estava orgulhosos da força que ele demostrou em continuar vivendo.

Publicidade
Publicidade

Os médicos retiraram o aparelho que o mantinha vivo e todos puderam dar seu último adeus.

Os pais do bebê, Connie Yates e Chris Gard, estavam em intensa luta jurídica para poder levar Charlie para os Estados Unidos para tentar um tratamento experimental, que poderia o permitir mais tempo de vida ao filho.

Depois de ter todas as ações negadas, o casal apelou para o Tribunal Europeu de Direitos Humanos, onde perdeu, novamente. O caso do bebê Charlie Gard ganhou forte repercussão e até mesmo personalidades como o Papa Francisco e o presidente norte-americano, Donald Trump, demostram apoio a família.

O hospital britânico onde Charlie estava internado havia anunciado que tinha conseguido novas informações sobre o tratamento que o bebê precisava e apelou para que a justiça britânica reexaminasse o caso de Charlie Gard.

Publicidade

Porém na segunda-feira (24), os pais de Charlie acabaram desistindo [VIDEO], pois perceberam que o tempo do filho tinha chegado ao fim. Mesmo que eles conseguissem sucesso na justiça, já era tarde para salvar o bebê da morte.

Sem poder fazer mais nada para salvar o filho, os pais pediram para que ele fosse liberado para ficar seus últimos dias em casa, mas o hospital recusou o pedido alegando que os pais não teriam como dar os cuidados básicos necessários para Charlie.

Outro argumento usando pelo hospital para negar o pedido dos pais era que o aparelho de ventilação artificial não passava pela porta de entrada da casa deles. Nas redes sociais, muitas mensagens de solidariedade e força aos pais foram postadas.

Entenda a doença de Charlie Gard

O bebê do casal britânico sofria de uma síndrome chamada de depleção do DNA mitocondrial, considerada muito rara. Por causa dessa síndrome, o Charlie Gard teve danos no cérebro e nos músculos que o impediam de movimentar os braços, as pernas e respirar sem ajuda de equipamentos médicos.