Publicidade
Publicidade

O #Baleia Azul, um jogo perigoso que tem sido alvo de investigação de autoridades de todo o mundo, parece que está saindo de moda. Contudo, os pais devem ficar atentos a sinais de depressão em seus filhos adolescentes, uma vez que a #Internet é um meio perigoso para despertar crises que podem levar até mesmo ao suicídio. É o que alertam os especialistas em transtornos da mente.

Manter a autoestima da pessoa que se gosta deveria ser não só um favor, mas também uma obrigação das pessoas que as querem por perto. Por conta de jogos como o Baleia Azul, uma nova 'moda' macabra surgiu novamente na internet e tem conquistado as redes sociais.

Publicidade

O novo 'jogo' exige que o jovem ou participante que aceitou entrar na 'brincadeira' deva costurar a própria pele com agulhas e fios. O desafio está deixando os pais preocupados. As informações são do Diário de Notícias de Portugal, que fez uma busca para entender a origem do jogo proibido.

Surgido na China, o desafio busca imitar o anime japonês Tokyo Ghoul, em que um personagem chamado Juuzo Suzuya tem várias modificais corporais exibidas no dia a dia. Entre elas, a costura sob a pele se faz presente, deixando-o com um ar sinistro e macabro.

A série foi publicada em 2011 por uma revista de anime e também existe uma versão animada para a televisão, exibida desde 2014.

O personagem da série tem costuras em diversos lugares do corpo, como olhos, lábios, braços e até no pescoço. As informações são do Asia Online.

Publicidade

Após a descoberta do personagem 'diferente', até mesmo crianças decidiram entrar no 'jogo' e inserir fios na mão como forma de diversão. As fotos foram publicadas no Instagram. Algumas imagens são chocantes, pois mostram a costura sendo feita debaixo da pele e em partes sensíveis, como o pulso.

Adolescente fala sobre a prática

Na China, a série foi proibida pelo governo, segundo o International Business Times. Contudo, por conta da internet, adolescentes continuam a assistir e imitar o personagem sinistro.

Pela internet não é raro ver páginas que ensinam a usar agulhas no corpo sem a ajuda de um profissional e dizem como diminuir a dor de quem faz sozinho a inserção de fios pela pele.

Um adolescente chamado Xiao Qing deu entrevista para o portal falando porque começou a praticar o ato perigoso. Ele afirma que tudo começou quando viu amigos pela internet inserindo as agulhas, acho bonito e decidiu copiar.

"Decidi tentar apenas por diversão", falou.

As autoridades alertam aos pais que é necessário ficar atento ao conteúdo que os filho adolescentes acessam, pois é neles que eles se inspiram para cometer loucuras como essas. #Crime