Na quarta-feira (5), o americano Thomas Randolph, de 62 anos de idade, recebeu a sentença de pena de morte, que foi emitida por um tribunal do Estado de Nevada. O homem foi considerado culpado por ter contratado um assassino de aluguel para matar a sua sexta esposa, Sharon Causse, e também por ter executado o criminoso – Michael James Miller – após o serviço ter sido concluído.

Ambos os assassinatos aconteceram em 2008, época em que Randolph relatou à polícia que depois de ter chegado em casa e encontrado Sharon morta, avistou um intruso vestindo uma máscara preta no corredor de entrada da residência – situação que acabou obrigando-o a atirar fatalmente no suposto "desconhecido" em legítima defesa.

Publicidade
Publicidade

No entanto, investigações revelaram que o intruso era um bandido contratado pelo próprio Randolph para que sua esposa fosse morta, de modo que ele pudesse receber uma quantia considerável de dinheiro do seguro de vida da mulher, no valor de US$ 360 mil (aproximadamente R$ 1.18 milhão).

Condenado era suspeito de ter assassinado outra esposa

Em 1986, Thomas Randolph já havia se envolvido em uma situação que apresentou paralelos com a de 2008, quando sua segunda esposa – Becky Gault – foi encontrada morta na residência que o casal possuía em Clearfield, no Estado de Utah, com um tiro na cabeça. Entretanto, uma análise forense concluiu que aquele caso se tratava de um ato suicida, e o viúvo também recebeu dinheiro do seguro de vida, só que em um valor ainda maior: US$ 500 mil (R$ 1,648 milhão).

Publicidade

Durante o julgamento do incidente envolvendo as mortes de Sharon Causse e Michael James Miller, a parte acusatória apontou as semelhanças entre as duas situações, e quando a sentença de morte foi proferida pelo juiz do litígio, Randolph não mostrou qualquer sinal de emoção.

Por outro lado, a filha de Sharon, Colleen Beyer – que estava presente no tribunal – gritou, chorou e abraçou os amigos. Em entrevista ao site Las Vegas Review-Journal, ela afirmou que sentia que o assassino de sua mãe merecia o que estava recebendo, e completou: "Ele é um monstro. Ele é um monstro maligno e malvado".

Uma das amigas de Sharon, Sandra Miner, foi ainda mais além, e disse à rede de notícias NBC3 que a única coisa que Randolph merece é morrer, e que se ele pudesse ser ressuscitado, "merecia ser morto pela segunda vez".

Os advogados do acusado pretendem recorrer da decisão, e no dia 23 de agosto, ele retornará ao tribunal para que a sentença de pena de morte seja formalizada por um juiz. #Crime #EUA