Popularmente chamada de ‘ameba comedora de cérebro, a Naegleria Fowleri, um organismo unicelular invisível a olho nu, causa meningoencefalite amebiana primária (PAM), uma infecção cerebral, que geralmente resulta em morte, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Na maioria dos casos, as pessoas contraem a PAM quando a água entra nas narinas. Boa parte dos infectados, explica o CDC, adquirem a doença ao nadarem em água doce contaminada pela Naegleria Fowleri.

Os principais sintomas decorrentes da ‘ameba comedora de cérebro’ são diversos. Inicialmente, o indivíduo apresenta dor de cabeça severa, vômitos, náuseas e febre.

Publicidade
Publicidade

Depois, é afetado por fortes convulsões, delírios e, por fim, entra em coma e morre.

Apesar da PAM ser extremamente danosa à #Saúde humana, o Departamento de Saúde da Luisiana confirmou a presença da ameba em dois sistemas de água daquele estado.

Conforme a emissora ABC News, a PAM foi detectada em 29 de junho, durante exames de rotina para avaliar a qualidade do líquido no Sistema de Água do Norte Monroe de Ouachita e do Sistema de Água Schriever da Terrâtona Paróquia, ambos na Luisiana.

Embora as autoridades afirmem que a água pode ser ingerida diretamente da torneira, sem risco de contaminação, elas alertam que o perigo existe, caso ela entre pelo nariz.

Publicidade

Portanto, solicitam que os populares evitem nadar em piscinas e tomem precauções na hora do banho. Ainda sugerem que as pessoas deixem o chuveiro aberto por cinco minutos, antes de lavarem o corpo. Dessa forma, a ‘ameba comedora de cérebro’ é despejada antes do usuário ter contato com a água.

“Os residentes devem seguir estas precauções até que as autoridades de saúde as informem que as amebas não estão mais nos sistemas de água”, comunica o departamento de saúde.

Apesar de ter passado uma semana desde a descoberta, até o momento, o Departamento de Saúde da Luisiana não informou se a ameba foi removida dos reservatórios.

Porém, usuários criticam os métodos de segurança para evitar a contaminação. Michael Cerrito‏, por exemplo, lembra que os bebês podem ser facilmente infectados na hora do banho. Abaixo, veja mais reclamações dos moradores, no Twitter da entidade.

Ao que parece, a população está à mercê da própria sorte. Na dúvida, o melhor é ficar sem tomar banho, apesar das fortes ondas de calor que assolam as regiões Sul dos Estados Unidos, como a Luisiana. #Curiosidades #EUA