De acordo com os sites Daily Mail e Telegraph, há poucos dias uma cadela de três anos de idade da raça golden retriever, que se chama Rio, deu à luz uma ninhada de nove filhotes. O fato em si não chamaria a atenção se não fosse por um detalhe muito estranho: um dos recém-nascidos veio ao mundo com a pelagem verde – fenômeno extremamente raro e registrado apenas três vezes anteriormente no mundo todo.

Louise Sutherland, a dona de Rio, é uma britânica que vive em Golspie – vilarejo pertencente ao Condado de Sutherland, situado na região montanhosa da Escócia conhecida como Terras Altas (Highlands) –, e revelou que o primeiro filhote havia ficado preso no momento do parto, e assim ela e sua filha Claire começaram a auxiliar no procedimento.

Publicidade
Publicidade

Os bebês caninos seguintes vieram com mais facilidade, mas então apareceu entre eles o pequeno animal esverdeado. Incrédulas com o acontecimento, mãe e filha realizaram uma pesquisa, e descobriram que a causa do fenômeno é um pigmento chamado biliverdina, que desaparece com o tempo.

Existente no interior da placenta, a substância pode, de fato, tingir o pelo do cachorro quando se mistura com o chamado líquido amniótico, cuja função é envolver e fornecer nutrientes para o feto enquanto este se desenvolve.

Nome sugestivo

O forte tom verde com o qual o cãozinho nasceu já está desvanecendo. Entretanto, em função do ocorrido, Louise Sutherland afirmou que decidiu batizar o filhote com o sugestivo nome Forest, ou Floresta em português.

Rio já havia tido uma ninhada anteriormente, mas naquela ocasião nenhum dos pequenos – três fêmeas e dois machos, que vieram ao mundo em um parto que durou cerca de cinco horas – nasceu com cores incomuns.

Publicidade

Segundo Louise, os #Animais de estimação nascidos recentemente estão plenamente saudáveis e crescendo "como cogumelos", e ela já conseguiu encontrar "bons lares" para todos eles – exceto para Forest, o qual ela está pensando em manter para si mesma.

A mulher escocesa disse ainda que esta será a última cria de Rio, já que ela não quer que a cadela tenha mais filhotes.

Substância comum em animais

Segundo o Daily Mail, a substância biliverdina também pode ser encontrada no sangue verde-azulado de muitos peixes marinhos, além de existir nas asas de mariposas e borboletas, e em ovos de anfíbios.

Nos seres humanos, ela pode ser facilmente visualizada, por exemplo, em hematomas recentes, gerando aquele característico tom esverdeado existente neste tipo de contusão, o que ocorre quando a hemoglobina, principal molécula das hemácias, começa a ser degradada pelo organismo. #Cães #Curiosidades