Publicidade
Publicidade

Um casal do Estado de Utah, nos Estados Unidos, foi preso pelas autoridades daquele país e está enfrentando acusações de assassinato agravado em função do espancamento até a morte da própria filha de apenas 3 anos de idade, que era conhecida como Angelina Costello. Além disso, os réus Brenda Emile, de 22 anos, e Miller Costello, de 25, teriam usado maquiagem no corpo da menina a fim de ocultar vários tipos de ferimentos, tais como queimaduras, contusões e feridas abertas.

O #Crime foi cometido na última quinta-feira (6), quando a polícia da cidade de Ogden, situada no Condado de Weber, recebeu uma chamada de emergência feita pelos pais da garota, onde era solicitada ajuda para a criança que estava inconsciente e não respirava.

Publicidade

De acordo com registros oficiais da ocorrência, ao chegarem à residência do casal, as autoridades encontraram Angelina morta, com a pele rígida e fria ao toque – dado indicando que, possivelmente, o óbito já teria ocorrido há um tempo considerável antes de o serviço de emergência ter sido acionado.

Segundo depoimento obtido pelo site People, Brenda confessou à polícia que fez a maquiagem em Angelina antes de ligar pedindo ajuda para que os machucados "não parecerem tão ruins" quando fossem vistos.

Agressões e privação de comida

Angelina Costello possuía feridas na cabeça, pescoço, rosto, mãos e pernas, algumas das quais eram recentes e outras mais antigas, uma vez que mostravam sinais de cicatrização. Além disso, os investigadores do caso constataram que a menina possivelmente estava subnutrida.

Publicidade

Eles encontraram um vídeo no telefone celular de um dos pais onde comida era apenas mostrada para a criança e depois retirada, como uma espécie de castigo.

Costello teria confessado à polícia que sabia que a filha estava com problemas de saúde e que sua esposa estava negando alimentos a ela. Ele acrescentou ainda que a mulher não queria ajuda médica para Angelina por temer uma #Investigação Criminal que resultasse na perda da guarda dos outros dois filhos pequenos do casal – que agora estão sob o cuidado de um serviço governamental de proteção a crianças.

De acordo com o jornal The Salt Lake Tribune, os promotores do caso estão pedindo que seja negada a possibilidade de fiança para os detidos. Isso porque ambos declararam pertencer a uma comunidade transitória de ciganos romenos, que não possui o costume de morar em um local fixo. Pelo fato de o crime ter sido cometido contra uma criança, Costello e Brenda podem ser sentenciados a pena de morte. #EUA