Atingir o clímax durante uma #relação sexual é algo um tanto difícil para muitos casais, porém, para Scott e Melanie McClure, isso não é problema nenhum. Eles são casados há oito anos e contam que conseguem atingir o #orgasmo apenas abraçando um ao outro, através de uma prática incomum e estranha.

Mas, como eles conseguem isso?

Segundo o que relatam, eles nem precisam fazer sexo ou de preliminares para conseguirem ter prazer. Eles garantem que já chegaram a sentir orgasmos durante 18 horas seguidas usando a infalível técnica, essa que dizem que podem ensinar para outras pessoas que desejam ter o mesmo tipo de experiência.

Publicidade
Publicidade

Através de um tantra, qualquer #Casal pode passar a ter maior intimidade entre eles. De acordo como o que Scott contou ao ‘Daily Star’, ele e a sua esposa, através da prática, conseguem entrar em estados elevados de prazer, tudo com a ajuda de exercícios de respiração, toques, abraços ou através da relação sexual.

O casal, que hoje vive no Texas, EUA, afirma estar mais conectado do que nunca e jura que se um deles chegar ao clímax e o outro estiver no mesmo ambiente no momento, o parceiro também sentirá o mesmo de forma instantânea. Isso mesmo, sem se tocarem.

Além de proporcionar uma vida melhor para o casal, eles afirmam que a técnica também funciona com os amigos, com os quais eles nunca tiveram relações íntimas, mas com quem já praticaram a técnica do tantra.

Como chegar ao clímax sem ao menos tocar alguém

Veja a seguir três dicas oferecias por Melanie e Scott de como conseguir chegar ao clímax:

  1. Comece fazendo barulhos: desse modo, a pessoa se permite estar mais aberta, mais expressiva e assim libera todo o seu poder. De acordo com a técnica, os sons, como gritos e gemidos, intensificam o prazer e abrem canais do corpo.
  2. Respire bem: a respiração permite a intensificação e a prolongação do prazer. Sendo assim, para ter uma melhor experiência, a pessoa precisa respirar lentamente e profundamente.
  3. Tente ver a energia: para se ter uma melhor experiência sexual, a pessoa precisa tentar visualizar uma energia de prazer se movendo pelo seu corpo, isso tudo ao invés de ficar apenas focando no ato e no objetivo final.

Para Melanie, a prática tem modificado a sua vida.

Publicidade

No início, quando descobriu a técnica com Scott, ambos se sentiram como se fossem mutantes ou algum tipo de aberrações. Porém, hoje enxergam a prática com outros olhos e acreditam que estão fazendo o bem passando seus conhecimentos adiante.