Um homem matou sua esposa, em um navio de #Cruzeiro de luxo, porque ela não parou de rir dele, de acordo com investigação do FBI. Kenneth Manzanares foi acusado do assassinato de Kirsty, de 39 anos, depois que uma testemunha descobriu o quarto do #Casal salpicado de sangue. O casal vivia no estado de Utah, nos EUA, e estava à bordo do navio 'Princess Cruises', que seguia para o Alasca. O incidente aconteceu na noite de terça-feira (25), de acordo com a ABC News.

Por aquilo que a investigação do FBI já conseguiu apurar, os paramédicos foram chamados para uma emergência no quarto ocupado pelo casal Manzanares, quando seguia nessa viagem de cruzeiro.

Publicidade
Publicidade

Quem confirmou essa informação foi o agente especial Michael Watson, que esteve nesse caso, a serviço do FBI. Quando chegaram na cena do #Crime, os investigadores encontraram Kirsty com uma ferida na cabeça e sua morte foi declarada ainda no quarto. Infelizmente, já nada havia a fazer e de nada valeria a presença de médicos e seguranças no local.

Um dos agentes de segurança do navio percebeu algo estranho em Kenneth, o marido da vítima. Ele contou para os investigadores que o homem tinha sangue em suas mãos e nas roupas. Suspeitando que alguma coisa grave tinha acontecido, ele algemou o homem e o deteve em uma cabine adjacente. Depois de este segurança ter dado o alerta, outras testemunhas entraram no quarto do homem e encontraram sangue "em toda a parte" e uma pessoa encontrou a mulher, que era Kirsty, deitada no chão e coberta de sangue.

Publicidade

Assim que confrontaram Kenneth com o suspeito, ele apenas confirmou o crime, dizendo: "Ela não iria parar de rir de mim".

Ainda sobre esse incidente, o homem voltou a assumir o crime, quando foi levado pelo FBI, e disse a um dos agentes, de forma espontânea: "Minha vida acabou ". Apenas dois dias depois, na tarde de quinta-feira, Kenneth Manzanares participou da primeira audiência e ficou imediatamente detido. Nova audiência foi agendada para o dia 10 de agosto, mas, pelo menos até essa data, Kenneth deverá ficar na cadeia, uma vez que não teve direito à fiança.

Em comunicado, a empresa onde Kirsty estava trabalhando, Summit Sotheby's International Realty, disse o seguinte sobre a vítima: "É com corações muito pesado ​​e grande tristeza que anunciamos a morte intempestiva de um membro da nossa família imobiliária. Nós sentiremos falta da personalidade vibrante de Kristy, seu sorriso acolhedor, coração amável e compaixão por todos que a conheceram".