Na Suíça, o derretimento da geleira Tsanfleuron, situada na mundialmente famosa região dos Alpes, pode ter colocado fim em um mistério que já durava 75 anos, pois a retração do glaciar acabou revelando os restos mortais mumificados de dois corpos que possivelmente pertencem ao casal Marcelin e Francine Dumoulin.

O sumiço dos Dumoulin, que eram fazendeiros e pais de sete filhos, aconteceu no dia 15 de agosto de 1942. Eles estavam indo ao encontro de suas vacas para possivelmente ordenhar os animais, quando desapareceram sem deixar rastros a uma altitude de 2.600 metros.

Na época, buscas extensas foram realizadas durante dois meses inteiros, e como nada foi encontrado, as crianças – cinco meninos e duas meninas – acabaram indo morar com diferentes famílias do vilarejo onde residiam.

Publicidade
Publicidade

A descoberta dos corpos

Parecia mesmo que o caso permaneceria sem solução, até que na semana passada um funcionário da empresa Glacier 3000, que estava andando fora da trilha que corta o resort Les Diablerets, situado em Tsanfleuron, notou duas rochas negras que ele não havia percebido antes, e resolveu investigar.

Quando se aproximou, o trabalhou acabou constatando que eram dois cadáveres congelados deitados juntos, e ao redor dos corpos havia vários objetos, tais como mochilas, tigelas metálicas, uma garrafa de vidro e sapatos masculinos e femininos. A polícia suíça foi chamada ao local, e em comunicado, as autoridades revelaram que um relógio, uma das mochilas e um livro foram levados até a cidade de Lausanne para passarem por análise forense. Além disso, um exame de DNA está sendo realizado em amostras retiradas dos corpos, para que seja confirmada a identidade do casal.

Publicidade

Bernhard Tschannen, diretor executivo da Glacier 3000, afirmou que a descoberta pôde acontecer graças ao alegado aquecimento global, que está fazendo com que a geleira Tsanfleuron se retraia até meio metro por ano. Tschannen acredita que o homem e mulher tenham morrido após cair em uma fenda escondida no gelo, acrescentando ainda que eles estavam usando roupas cujo estilo data do período da Segunda Guerra Mundial.

Enfim, paz

Dos sete filhos do casal Dumoulin, todos os homens já morreram, e a caçula dos irmãos, Marceline Udry-Dumoulin – atualmente com 79 anos de idade – expressou ao periódico Le Matin a certeza de que os corpos pertencem Marcelin e Francine, e que a descoberta representa um grande alívio. Ela declarou: "Posso dizer que depois de 75 anos de espera, esta notícia me dá uma profunda sensação de calma".

Marceline revelou que passou a vida toda procurando pelos pais, chegando inclusive a fazer três escaladas até a geleira para tentar encontrá-los. Agora ela está planejando realizar um funeral apropriado para o casal, e afirmou que não irá usar roupas pretas em sinal de luto, dizendo: "Eu acho que o branco seria mais apropriado. Representa a esperança, que eu nunca perdi". #Curiosidades #Europa