Traições são muito comuns no Brasil e no mundo. No entanto, um caso que aconteceu no Vietnã está tendo repercussão planetária. Um vídeo mostra parte da cena e está causando verdadeiros calafrios em todo o planeta. Uma mulher grávida descobriu que o seu marido tinha outra. Revoltada, ela decidiu dar uma punição daquelas, enfiar uma superpimenta na vagina da mulher. Toda a ação chegou a ganhar posts nas redes sociais do momento em que tudo ocorreu.

Traída junta grupo para torturar amante com 'pimenta-malagueta'

A mulher que decidiu dar esse vingança ardida é Ly Chanel, de apenas 23 anos. Ela está esperando um filho do homem que a traiu.

Publicidade
Publicidade

Ele foi identificado como Chien Keo, de 24 anoa de idade. A mulher, ao descobrir que o seu esposo tinha um caso, acabou perdendo completamente o controle. Ela então teve um plano diabólico para punir a mulher e na última terça-feira (18) acabou atingindo a dita cuja com uma super #Pimenta. A espécie utilizada é parecida com a pimenta-malagueta no Brasil. A mulher urrou de dor ao receber tamanho castigo.

Grupo de mulheres tortura mulher e registra tudo em vídeo e fotos

Tudo ocorreu na cidade de Nguyen. A mulher estava desconfiada que o seu companheiro não era fiel. Ela e mais quatro amigos decidiram então dar um flagrante no homem que não andava na linha. Todos foram para um motel, onde a sessão de tortura aconteceu. Fotos e um vídeo da cena foram divulgados pelas redes sociais. Uma das mulheres ficou encarregada de registrar tudo em um vídeo e fotos.

Publicidade

Todas as mulheres se preocuparam em utilizar as luvas de látex para evitar que a pimenta as atingisse. Em seguida, o grupo começa a introduzir as pimentas na genitália da moça.

Torturadoras ainda têm o cuidado para não ficarem com a mão ardendo

As mulheres tiram as roupas íntimas da amante no vídeo e nas fotos divulgadas."Como ele pode cuidar de nós se ele trapaceia com outra garota. Uma mulher que destrói a família”, chegou a dizer a jovem, que publicou fotos do caso em sua rede social. Questionada pela mídia internacional se alguém teria feito uma queixa da situação, a polícia negou. Em entrevista a sites internacionais, o advogado Giang Hong Than lembrou que o que a traída fez é um erro e que torturar e expor a tortura na internet é #Crime.

A mulher que cometeu o ato agora pode até ser presa. Além disso, ela pode também estar sujeita a multa que pode chegar a 100 euros, quase R$ 400. Essa quantia é considerada alta na região, que é muito pobre.