Cat Lee ficou com problemas em sua #bexiga após o nascimento de seu segundo filho, Charlie, em setembro de 2007. Por essa disfunção, Lee foi aconselhada a fazer uma malha vaginal como tratamento. Porém, tudo correu mal e a vida dessa #Mulher de Huddersfield, Inglaterra, nunca mais foi a mesma. Cat, de 43 anos, sofreu dores angustiantes que a fizeram chegar ao ponto de pedir para o seu marido procurar outra mulher.

Atos simples como se sentar no chão ou ter uma relação sexual foram cortados da sua rotina após essa cirurgia. Cat Lee trabalhou de professora na Universidade de Huddersfield e declarou ao jornal Mirror: "Meu pobre marido, Gordon, foi mais como meu cuidador.

Publicidade
Publicidade

Quanto ao sexo, era estritamente impossível por causa da dor. Eu mesma cheguei a sugerir que ele fosse dormir com outra pessoa. Felizmente ele se recusou, dizendo que era a mim quem ele amava."

Dor após nascimento do segundo filho

Tudo aconteceu após o segundo parto, há dez anos. Seis meses depois do nascimento de Charlie, Lee regressou para o trabalho e foi aí que ela notou que precisava de ajuda. Ela estava dando aula na universidade quando se molhou por culpa dessa incontinência. Ela ficou se sentindo "humilhada e envergonhada" e teve até que pedir para uma colega comprar collants para ela. Por essa altura, Cat tinha 33 anos, mas estava se sentindo uma idosa, por não ter controle sobre sua bexiga.

Após esse incidente, ela procurou seu médico e foi encaminhada para uma ginecologista, que disse que ela tinha incontinência de esforço e teve um prolapso menor, que estava afetando o seu controle da bexiga.

Publicidade

Diferentemente de sua primeira gravidez, dessa vez ela notou que se molhava mais.

Foi aí que sugeriram uma cirurgia para colocar a malha vaginal. Cat ficou sabendo que esse tratamento consistia em um implante para tratar do prolapso de órgão pélvico e incontinência após o parto. "Foi-me dito que era um procedimento de 20 minutos, que terminaria com essa miséria de incontinência. Isso iria transformar minha vida", acreditou Cat.

Ela operou no dia 2 de dezembro de 2009, em Huddersfield, mas, quando acordou da anestesia, sentiu um ardor intenso, como se fosse de ácido, que partia de sua virilha esquerda e seguia se espalhando para o lado direito. Ela tomou analgésicos e teve alta nesse mesmo dia, indo para casa com a recomendação de repousar por seis semanas. No entanto, a dor nunca mais foi embora e foi ficando cada vez mais intensa e debilitante com os anos se passando.

Em setembro de 2011, quase dois anos depois da cirurgia, ela não conseguia andar ou se sentar, com dores. No final de 2012, ela fez injeções de esteróides e, desde o verão de 2013 ela está aposentada por não ter saúde para trabalhar, aos 39 anos.

Publicidade

Com mais tempo livre, ela foi pesquisar novos procedimentos e descobriu o médico Harley Street, em Londres, que se especializou em remover esse tipo de malha por mais de 40 mil reais. Como ela havia processado o hospital anterior, ela aguardou pela indenização para fazer essa cirurgia.

Não ficou perfeito, mas melhorou sua condição. Apesar de tudo que passou, ela sente que essa cirurgia arruinou sua vida e que ela deixou de ser a mãe e a esposa que gostaria de ser. #Casamento