Os gregos sempre foram reconhecidos por sua obstinação, o que alguns classificam como teimosia, mas independente de qual seja o adjetivo mais apropriado em relação a esse povo milenar, muito provavelmente serem obstinados, ou teimosos no bom sentido, é o que lhes permitiu sobreviver através dos milênios e poder hoje contar sua história encantadora.

A população e visitantes da ilha grega de Kos, onde nasceu Hipócrates, o pai da medicina, teve que enfrentar um desses desafios, na forma de um fortíssimo terremoto de 6,7 na escala Richter e que atingiu aquela parte do mundo na última sexta-feira, dia 21 de julho.

O saldo da tragédia foi a morte de 2 pessoas (um turista sueco e um turco) e mais de 500 pessoas ficaram feridas; sendo que duas delas se encontram em estado grave.

Publicidade
Publicidade

Acontece que na noite de sábado (22), foram registrados dois fortes tremores na #Ilha grega, ou seja, um dia depois do terremoto principal.

A réplica do 1º tremor atingiu a magnitude de 4,4 na escala Richter em torno das 20h e logo 16 minutos após a terra se sacudir novamente, houve um 2º tremor de 4,6 de magnitude, conforme informou o Instituto de Geodinâmicas da #Grécia, localizado na capital do país, Atenas.

É importante deixar claro que o aeroporto da ilha está operando normalmente e todos os vôos nacionais e internacionais estão sendo realizados sem maiores problemas.

As autoridades locais revelaram que o principal porto da ilha de Kos, que foi danificado no terremoto de sexta-feira, será temporariamente reparado com uma rampa de cimento, permitindo que ferry boats possam atracar no cais.

Publicidade

O porto em si e uma grande seção que fica submersa foram inspecionados por mergulhadores e peritos ainda no sábado, e disseram que toda a estrutura está conservada, mais do que se pensava.

A rampa de cimento, cuja construção vai começar dentro dos próximos dias e será supervisionada pelo Ministério da Infra-estrutura chefiado por Giorgos Dedes, terá caráter temporário e apenas posteriormente é que as autoridades se dedicarão a uma reparação permanente.

No momento, as ligações de Kos com as outras ilhas do arquipélago do Dodecaneso e o litoral da #Turquia, estão sendo feitas por ferry boats, os quais atracam no porto de PPC.

Já os ferry boats preparados para transportar carros maiores e caminhões no roteiro entre a ilha e Atenas, estão atracando nos portos de Kefalos e Mastichari.

Ônibus foram disponibilizados para fazer os caminhos mais distantes no interior da ilha e transportar os moradores desse pedaço do paraíso abalado e os turistas, que se encontram presentes em grande número no ápice do verão europeu.

Publicidade

Todas as ligações com o litoral da Turquia mais próximo se encontram restauradas, assim como o ponto de verificação da zona de Schengen, o que facilita o fluxo entre Europa e Ásia Menor.

Para os turistas, a vida na ilha continua sendo o objeto de desejo; tanto é assim, que muitos deles continuam as férias como se nada tivesse acontecido, retornando, inclusive para as praias que já foram desobstruídas dos escombros dos terremotos, algo comum naquela parte do planeta.

Turistas retornam às praias da ilha de Kos, depois do forte terremoto que atingiu a região