Conrad Asa Pritchard foi preso, após ter sido acusado de ter abusado sexualmente de uma menina de apenas 4 anos. Ele estava solto em liberdade provisória depois de ter estado cumprindo uma pena de prisão por um delito anterior. O acusado voltou a infringir a lei quando atacou uma #criança, com idade inferior a 13 anos. No tribunal de Manchester, na Inglaterra, ele assumiu o seu crime, mas se desculpou de uma forma um pouco descabida. Conrad jurou que pensava que estava com uma pessoa adulta.

A polícia foi chamada a uma casa, em Salford, no final do mês de maio. A denúncia não está muito clara, mas supostamente, alguém pediu a intervenção policial na sequência desse #Abuso Sexual, que ocorreu nas primeiras horas da manhã, do dia 26 de junho.

Publicidade
Publicidade

Os policiais foram alertados para um distúrbio e detiveram o #Homem, que foi agora apresentado em tribunal, onde será novamente sentenciado.

Desse crime, restam poucas dúvidas, até porque ele mesmo assumiu o crime que cometeu contra a menina. No entanto, ele tentou se justificar, mas com um alegação considerada absurda pela Justiça. No tribunal, foi-lhe perguntado se ele "tocou intencionalmente uma garota com menos de 13 anos de idade, e se esse toque era sexual". Pritchard colocou as mãos na cabeça, olhou para baixo e respondeu: "Culpado".

A sua advogada, Jane Miller, já havia revelado que seu cliente se iria declarar como culpado, mas que precisava se justificar, acreditando que as pessoas entendessem a sua explicação. A advogada disse que o cliente havia se confundido e que acreditava que a criança de 4 anos que estava em seu quarto era uma pessoa adulta.

Publicidade

Porém, são poucas as pessoas que podem acreditar que uma menina tão pequena pudesse ser confundida com uma mulher adulta.

Por causa dessa justificação, o juiz pode agora exigir uma nova audiência, para que se faça uma reconstituição de tudo o que aconteceu no dia do crime, antes que a sentença seja oficialmente comunicada. Apesar de ainda poder requerer uma nova audiência, por culpa dessa estranha explicação, o juiz Nicholas Sanders já disse que a prisão de Pritchard seria "inevitável".

O magistrado afirmou que o comportamento do acusado foi "vergonhoso" e que a ofensa era sua "estrita responsabilidade", ou seja, não se pode apontar qualquer culpa a uma menina de 4 anos, sendo ele o único responsável por todos os danos causados, independentemente se ele teve ou não intenção de atacar sexualmente a menina.

No final da audiência, o juiz revelou a Pritchard que esse caso era "demasiado grave" e que ele iria passar esse caso para o tribunal superior, onde ele deverá se apresentar no próximo mês. Esse instância vai definir o tempo de prisão que o acusado terá que cumprir.