No ano de 2016, às vésperas da Olimpíada do Rio de Janeiro, uma menina de apenas 16 anos acabou sendo abusada sexualmente por 33 homens. O caso, é claro, virou um dos assuntos mais tratados pela mídia naquele período.

Infelizmente, estupros não acontece somente aqui no Brasil, mas em diversas regiões do planeta. Um caso recente, por exemplo, está chocando a Colômbia. Isso porque sete jogadores do time Independiente Santa Fé estão sendo acusados de #Estupro coletivo com uma garota de programa. O caso ganhou repercussão dos mais diversos veículos de comunicação de todo o planeta.

Garota de programa diz que foi abusada sexualmente por sete jogadores

Em um relato surpreendente, uma jovem conta que sofreu violência sexual dos atletas.

Publicidade
Publicidade

Ela afirmou que tinha acertado a relação sexual com apenas um dos atletas, Carlos Mario Arbodela, mas que os homens a obrigaram a ter relação sexual com vários dos atletas do Independiente de Santa Fé.

O #Crime teria ocorrido logo após o clube ter ganhado a chamada Super League 2017. Após a ação criminosa, a mulher demorou para ter coragem e contar tudo o que ocorreu naquela noite. A garota de programa diz que recebeu dinheiro apenas para ter relação com Mario Arbodela, mas que foi obrigada a ter relação com seis outros jogadores do time colombiano.

Jovem aceita R$ 550 por sexo, mas não imaginava que teria que 'ficar' com 7 jogadores

Arbodela teria incentivado a mulher, que não teve o nome identificado, a ficar com ele por R$ 550 (mais de 500 mil pesos na #Colômbia). No entanto, ela acabou tendo que ir para a cama com os colegas dele.

Publicidade

A vítima diz que outras mulheres chegaram a ser contratadas para a noitada, mas que apenas ela teria sido vítima do abuso coletivo dos atletas.

A jovem disse que foi levada a um quarto no segundo andar da casa que foi alugada pelos jogadores para comemorarem o título. Ela informa que, inicialmente, ela e um dos atletas estavam tento o ato íntimo a dois, mas que os outros seis chegaram minutos depois.

'Mulher da vida' pode ter feito acordo com o Independiente Santa Fé

A garota de programa diz que estava nua, mas que negou que quisesse transar com os outros seis rapazes. "Fizeram de mim o que quiseram, me pegando de todas as formas", disse a mulher.

Há boatos na imprensa colombiana de que a vítima teria feito um acordo com o clube para que ela ficasse de bico calado. Em entrevista, César Pastrana, presidente do time, disse que jamais recebeu qualquer notificação da Justiça por conta do episódio e que é contra a violência de qualquer tipo.