Uma mulher, que aliás é #mãe da própria vítima, foi presa em Greensburg, na Pensilvânia, nos Estados Unidos. A acusação que recai sobre Joelle Barozzini, de 46 anos, é #Estupro e fornecimento de bebidas alcoólicas a um jovem adolescente de apenas 16 anos, seu filho adotivo.

De acordo com as autoridades locais americanas, a mulher confessou que abusou sexualmente do próprio filho. O que mais chocou os internautas e as autoridades é que o ato sexual incestuoso teria acontecido mais de 500 vezes. Para entrar em hotéis como o rapaz, a mulher alegava que era namorada dele e que tinha uma doença que a fazia envelhecer prematuramente, já tendo aparência adulta.

Publicidade
Publicidade

As autoridades ainda identificaram que a mulher seduzia o próprio filho, enviando nudes para seu celular com frequência.

Mãe dava bebidas alcoólicas e estuprava próprio filho adolescente

Era comum, além dos atos incestuosos, Joelle fornecer bebidas alcoólicas ao próprio filho menor de idade. A acusada dizia para ele que os dois seriam namorados e que poderiam fazer sexo sem medo de nada.

O jovem, que deu sua declaração para a polícia, confirmou os diversos atos e ainda disse que, às vezes, o sexo acontecia com o marido da mulher, seu padrasto, dormindo no sofá da sala e com a porta do quarto aberta, sem nenhum tipo de cuidado para ocultar as atividades ilícitas. Segundo ainda informações da polícia, a mulher além de confessar o crime, deu detalhes de como tudo começou.

Joelle lembrou que os atos começaram numa festa na casa da família.

Publicidade

Ela e o filho estava num sofá do porão da casa e ela começou a acariciar suas coxas. A partir daí, os atos se repetiram freneticamente. Estima-se que tenha acontecido cerca de 500 vezes. Os atos aconteciam na própria casa da família ou em hotéis, que a mãe levava o filho para as orgias de fim de semana.

"Eu estava muito nervoso com a situação. Ela me agarrou e me beijou. Me puxou pela mão e me levou para o quarto dela. Eu estava muito assustado com medo de alguém ver. Eu realmente não tinha ideia do que fazer. Toda vez que acontecia aquilo era contra a minha vontade.", disse o rapaz, que hoje está com 24 anos, no tribunal.

O procurador do caso, Jim Lazar acusou Joelle de usar o medo contra o filho, para que ele não contasse nada a ninguém. O juiz que dará a sentença final, James Albert determinou fiança de U$50 mil (equivalente a cerca de R$160 mil) , que foi paga por Joelle, permitindo-a responder o processo de estupro, agressão sexual e corrupção de menores, em liberdade.

Deixe sua opinião sobre o caso. #Married Joelle Barozzini