Uma #mãe está sendo acusada de ter sufocado sua #Filha até à morte, antes de supostamente fracassar em uma tentativa de suicídio. O caso aconteceu em Stoke-on-Trent, na Inglaterra, e Cody-Anne Jackson poderia ter sido a grande culpada pela morte da própria filha. A jovem de 20 anos tem a culpa apontada para ela, até porque havia passado a última semana, deixando pistas. São várias as mensagens e até fotos que ela enviou da menina, para o ex-marido, Paul Hogan, que a tinha deixado fazia uma semana. "Desculpe, pensei que você merecia uma última foto e memória dela", escreveu Cody-Anne para o pai da sua filha.

Nesse mesmo dia, a menina foi encontrada morta na cama.

Publicidade
Publicidade

Também a mãe tinha alguns ferimentos de facas, mas os golpes eram todos superficiais. Ela tinha ainda uma nota de suicídio do seu lado, que dizia: "Eu não quero deixá-la para trás, mas também não posso continuar. Não há mais nada para mim ou para Macey". De acordo com o tribunal, a mulher teria sufocado a menina, com uma almofada, enquanto ela dormia e, após esse #Crime, ela teria tentado colocar um fim na sua vida.

Porém, essa tentativa fracassou e ela acabou mudando seu discurso, depois de na notinha de suicídio, ela ter sugerido que havia matado a filhinha, para que ela não ficasse sozinha e que, também ela não poderia continuar com sua vida. Além de essa nota, ela enviou ainda várias mensagens para Paul, durante essa semana, onde demonstrava que estava muito chateada com o ex, depois de ela a ter deixado.

Publicidade

A mulher foi descrita, no tribunal de Stafford, como "socialmente isolada".

De acordo com o médico legista, a menina morreu após" sofrer dano cerebral generalizado causado pela interrupção do fornecimento de sangue oxigenado. Algo interferiu com a capacidade de respirar". Depois de ter supostamente sufocado a criança, ela foi dormir, colocando a criança junto com ela, na sua cama. Só mais tarde é que ela percebeu que o corpo da menina estava frio, mas ela preferiu não ligar para as emergências. Alegadamente, ela teria pensado que já não havia nada a fazer e foi aí que ela provocou os ferimentos, com a faca, nela mesma. Só mais tarde, é que ela contatou as emergências, referindo que Macey não estava respirando.

Quando a polícia chegou, a menina estava morta e a mãe estava caída, com os ferimentos nos braços. Do lado dos corpos, estavam quatro facas de cozinha e uma nota que provava que ela queria mesmo ter se suicidado, depois de matar Macey. Porém, ela agora está negando a acusação de homicídio. Ela se defendeu, no tribunal, dizendo que a menina morreu e que ela tentou se suicidar quando percebeu que sua filha estava morta.

O julgamento, que deverá durar cerca de três semanas, vai continuar decorrendo em tribunal.