Um caso de brigar familiar chocou a cidade de Stoke-on-Trent, na Inglaterra. Uma jovem #mãe em processo de separação estava com dificuldade para lidar com a situação e acabou assassinando a própria #Filha.

A mãe, de apenas 20 anos, chama-se Cody-Anne Jackson. Segundo informações da polícia britânica divulgadas pela imprensa, a mulher sufocou a filha de apenas 2 anos de idade até a #Morte. Cody ainda teria tentado suicídio após o assassinato, mas não morreu.

A mulher negou que tenha matado a filha, mas as autoridades locais garantem que possuem provas suficientes para incriminar Cody nesse infanticídio.

Pai recebeu foto da criança pouco antes de ela ser assassinada

A principal prova coletada pela polícia é uma foto que foi enviada por Cody ao pai da criança pouco antes de ela ser sufocada.

Publicidade
Publicidade

Na mensagem enviada a Paul Hogan, o pai do bebê, Cody pedia desculpas por tudo o que estava fazendo.

Ela anexou foto da criança dizendo ser a última imagem que ele veria da própria filha. A mulher disse ainda que achava que ele merecia ter isso guardado.

O pai entrou em desespero e acionou a polícia para ir atrás da ex-mulher. Ao chegarem ao local, os policiais encontraram a criança já sem vida em cima da cama e conseguiram interromper o suicídio de Cody.

Mulher escreveu carta suicida, mas não concretizou o ato

Os policiais encontraram a mulher com marcas superficiais de cortes nos pulsos. Eles acreditam que ela tentou se matar, mas não teve coragem de concretizar o ato.

Também encontraram no local uma carta em que Cody se despede de todos.

Publicidade

Ela escreve que não quer deixar a filha de apenas 2 anos para trás. Por isso, vai levá-la junto. Segundo a mãe, a criança não teria nada a fazer se continuasse viva, pois sua família estava destruída.

Mulher vai a julgamento pelo brutal assassinato

A mulher está agora sendo julgada pela Justiça britânica. Detalhes do assassinato foram divulgados. Segundo as autoridades, Cody usou uma almofada para sufocar a filha, que teve o nome divulgado e se chamava Macey.

A mulher teria pressionado a almofada sobre o rosto do bebê até que a respiração fosse completamente interrompida, levando Macey ao óbito. No tribunal, testemunhas descreveram Cody como uma pessoa demasiadamente reservada e isolada.

A mulher alegou que não tinha percebido a morte da filha, mas as autoridades alegam que a criança passou horas morta ao lado da mãe até que a polícia chegasse ao local. As próximas semanas serão decisivas para que a sentença seja decretada, mas a população da cidade aguarda ansiosa pela condenação de Cody por conta do brutal assassinato.