Maisie é uma criança feliz. Mesmo com todas suas limitações, ela dá um exemplo de perseverança e de força de vontade de viver. Desde o seu nascimento, ela luta pela vida e vem vencendo a dura batalha contra a Síndrome de Treacher Collins. Saiba mais.

De acordo com o portal de notícias online R7, Maisie Coulton, de 8 anos, nasceu na Inglaterra, e foi diagnosticada com a síndrome de Treacher Collins ou disostose madibulo-facial, é uma doença rara, que afeta aproximadamente 1 em cada 70 mil nascidos vivos, sem predileção ou distinção de sexo e etnia. A garotinha que já passou por 29 cirurgias é uma criança inteligente, feliz e um exemplo de vida.

Publicidade
Publicidade

Convivendo com a síndrome de Treacher Collins

Assim que Maisie nasceu e foi diagnosticada com a doença, a garotinha passou a lutar para se manter viva. Ela já passou por 29 cirurgias para correções na face e por causa da síndrome ela apresenta problemas nas mandíbulas, bochechas, olhos, orelhas e nos dentes.

A disostose madibulo-facial tem como principais características o achatamento dos ossos malares, palato estreito ou fissurado, queixo pequeno, ausência das orelhas ou má formação das mesmas, surdez parcial ou total, problemas oftalmológicos, problemas com as pálpebras que geralmente ficam caídas, problema com a formação dos olhos que apresentam os cantos externos caídos, entre outros sintomas.

Inspiração

Segundo o jornal "Daily Mail", Sarah, que é a mãe da garotinha, afirmou que Maisie é uma inspiração para a vida de todos que a cercam.

Publicidade

A filha é feliz, brincalhona, de bem com a vida e sorridente. Sarah relatou que desde o momento que nasceu, a menina optou por viver.

Maisie nasceu sem orelhas e não conseguia respirar. Ela precisou fazer a primeira cirurgia, de muitas que viriam, com poucos minutos de vida. A garotinha foi submetida a uma traqueostomia, este procedimento consiste em abrir um furo no pescoço, por onde ela foi entubada para que conseguisse respirar.

Sarah e seu marido, pai de Maisie, precisaram passar por um treinamento para aprender a cuidar da filha. Entre os cuidados especiais estava a sucção da traqueia e a troca dos tubos de emergência, o que precisa ser feito semanalmente.

Em um primeiro momento, eles não conseguiam entender o que estava acontecendo, mas depois perceberam que o bebê deles tinha nascido com uma condição séria e grave.

As cirurgias pelas quais ela já passou são para amenizar a aparência da garotinha e também melhorar a qualidade de vida dela. Provavelmente ela ainda terá que passar por outros procedimentos.

Hoje, uma das maiores preocupações dos pais da garotinha é em relação ao bullying e com a vida social da filha, por isso, Maisie faz parte da instituição britânica de caridade infantil “Genetics Disorders UK”, para ajudar na conscientização sobre a doença. #Medicina #Saúde #Mundo