Pode parecer loucura para a maioria das pessoas, mas algumas práticas religiosas arcaicas ainda podem causar a morte de inocentes. A jovem Tulasi Shahifue, de apenas 18 anos, morreu apenas por ter ficado menstruada. Este fato bizarro aconteceu no Nepal, um pais onde a #Religião hindu é predominante.

Tulasi Shahifue foi picada por uma cobra venenosa e não pode receber tratamento médico por estar menstruada. Segundo a religião hindu, a mulher, quando está menstruada, tem que ficar isolada e não pode ser tocada por ninguém.

No #Hinduísmo, a menstruação representa algo impuro. Na maioria das cidades e principalmente em áreas mais rurais, as mulheres quando estão menstruadas precisam ficar isoladas e fora de casa.

Publicidade
Publicidade

Mulheres no período menstrual não podem ter nenhum tipo de contato com outras pessoas. Esta prática é chamada de "chaupadi".

Segundo as informações do prefeito da cidade de Dailekh, Surya Bahadur Shahi, dadas ao site de notícias AFP, a jovem passou muito mal depois de ter sido picada duas vezes por uma cobra venenosa e o estado dela se agravou porque os familiares a isolaram. Tulasi Shahifue faleceu sozinha na sexta-feira (8).

“Tulasi Shahifue conseguiu ficar viva por quase um dia depois de ter sido picada pela serpente, mas acabou falecendo em razão da falta de atendimento médico”, declarou o prefeito Shahi.

De acordo com a polícia de Dailekh, a família levou a jovem para se tratar com um xamã, mas o correto seria levá-la a um hospital, pois a jovem precisava de atendimento médico e remédios para combater o veneno da cobra.

Publicidade

No hinduísmo, a prática de "chaupadi” é muito comum e consiste em isolar mulheres que estão menstruadas e após o parto. Esta é a terceira vitima desta prática em menos de um ano no #Nepal. Outras duas mulheres faleceram em 2016: uma por ter inalado fumaça tóxica por causa de uma fogueira feita para se aquecer e a outra por causas não reveladas, encontrada morta na cabana onde estava isolada.

Há cerca de dez anos, uma lei aprovada no congresso parlamentar do Nepal condena pessoas que praticam o "chaupadi” a até cinco anos de prisão. O maior problema é que em áreas remotas e rurais, esta prática continua sendo cometida sem nenhum tipo de fiscalização das autoridades locais.

O corpo da jovem foi cremado no sábado (9), seguindo as normas do hinduísmo, que ensina que o corpo é formado por cinco elementos: terra, água, fogo, ar e éter. Segundo a crença, a pessoa morre por ter seus elementos apagados e o Deus do Fogo, Agni, purificará o cadáver e libertará sua alma, podendo assim seguir seu caminho. As cremações nas províncias são feitas ao ar livre.

.