Rebecca Crookshank fez uma denúncia angustiante sobre seu recrutamento para se alistar no #Exército. Em uma área onde os homens ainda dominam, esta #Mulher provou que existem imensos abusos, e ela expôs as fotos do assédio sexual, que aconteceram com ela, depois de se alistar nas forças armadas, no norte de Londres, Inglaterra. As imagens são até chocantes e mostram a mulher, na época com apenas 21 anos, na frente de vários colegas homens, completamente nus, fazendo simulações de atos sexuais. Rebecca era a única mulher, em uma base com 28 homens e esses abusos aconteceram em 2001.

Agora, com 36 anos, ela resolveu finalmente expor sua história, mostrando as imagens.

Publicidade
Publicidade

Ela serviu na Força Aérea Real e foi enviada para Mount Alice, nas Malvinas, durante quatro semanas. Ela foi logo recebida por uma fileira de homens, expondo suas nádegas. Começava aí seu pesadelo.

No entanto, ela passaria por provações ainda mais graves, sendo agarrada e pressionada contra os colegas nus. Ela revelou ainda que um oficial chegou a assediá-la, entrando em seu quarto e oferecendo um vôo em um Tornado F3, em troca de sexo.

Rebecca revelou sua história para o Daily Mail, contando que existem agora cada vez mais mulheres na linha da frente de todas as atividades, e lutando por igualdade nas oportunidades de trabalho e, especialmente, em uma igualdade de gêneros, sem discriminações sexuais, como os abusos que ela sofreu. No entanto, ela diz que o caminho é ainda muito longo e há muito para fazer, logo desde o treinamento básico.

Publicidade

"O comportamento abominável que eu experimentei em 2001 pode ter sido há muito tempo para alguns, mas teve um enorme impacto na minha vida e eu não vou ser silenciada. Se um outro ser humano ler minha história e encontrar a coragem para falar sobre sua experiência pessoal de abuso nas forças armadas ou qualquer local de trabalho, então, juntos, podemos nos aproximar de uma mudança de comportamento", contou a ex-militar.

Atualmente, ela está trabalhando como escritora e atriz, mas não esquece seu passado como militar e as desigualdades que sentiu, por ser mulher.

De acordo com o jornal Daily Mail, as soldados do sexo feminino são vítimas de ataques sexuais duas vezes por semana. De acordo com uma investigação livre, entre 2012 e 2017, houve um número total de 363 alegações de #Abuso Sexual feitas desde as forças militares, na Inglaterra, sendo que 99 instrutores foram demitidos na sequência dessas alegações. Ficou ainda referido que o ministério da Defesa teve que pagar já mais de dois milhões de libras, em indenizações, para vítimas de abusos sexuais, nos exércitos.