Desde a década de 90, mais precisamente a partir de 1995, habitantes de Puerto Rico relatam histórias sobre uma bizarra criatura, cuja aparência assemelha-se a de um cão, o chupa-cabra.

Apesar de haver milhares de relatos sobre avistamentos do suposto bicho, que desde então é visto em diferentes países, inclusive no Brasil, até hoje a ciência não comprovou a existência da criatura, que se alimenta do sangue de vacas, galinhas e outros animais.

Contudo, o autoproclamado caçador de tesouros Martin Mcosker, há 15 anos envolvido nesse tipo de atividade, confidencia à emissora estadunidense do Novo México KOB 4, ter achado o que ele avalia ser o crânio de um chupa-cabra, numa região ao sul de Las Vegas – veja a manchete.

Publicidade
Publicidade

Embora esteja habituado a detectar objetos peculiares de alto valor, perdido há décadas e até mesmo séculos, pela primeira vez o explorador encontrou algo fora do comum no seu ramo de profissão.

Impressionado com a descoberta, Mcosker não esconde o entusiasmo. Em depoimento à emissora, confessa ter ficado aturdido ao visualizar o crânio de característica peculiar. “Não consegui pensar em mais nada. Quero dizer, olhe para os dentes. Eles são enormes", declara.

Porém, apesar de usar ferramentas específicas para detectar tesouros escondidos embaixo do solo, dessa vez, o responsável pela identificação do alegado ser, que muitos acreditam ter origem extraterrestre, foi seu cachorro.

Publicidade

Segundo o norte-americano, ele viu o cão cheirando uma determinada área e, ao verificar o incomum interesse do animal em uma parte específica do território, sentiu o intenso odor de um corpo em decomposição.

Na sequência veio a surpresa: um crânio de formato peculiar com longos caninos, que ele acredita ser a lendária besta chupadora de sangue, famosa na década de 1990.

Devido a ameaçadora aparência, o caçador de tesouros revela ter sentido alívio pelo fato do cachorro não ter encontrado a criatura viva. “É disto que os pesadelos são feitos”, brinca.

Ainda que o pesquisador avalie o crânio como pertencente ao chupa-cabra, exames laboratoriais são decisivos para descartar a possibilidade de ele ser a cabeça de um lobo selvagem ou coiote.

Até que isso aconteça, as alegações de Martin Mcosker serão apenas hipóteses distantes da realidade. Todavia, vale lembrar que a lenda do chupa-cabra foi intensamente explorada pela mídia brasileira.

Confira abaixo o programa Domingo Legal (SBT), onde o improvável corpo da criatura foi mostrado em rede nacional.

#Curiosidades #Viral #EUA