A morte da australiana Justine Damond, no último dia 15 de julho, nos traz reflexões sobre as falhas humanas ocorridas em abordagens policiais. "Discover your brain. Master your mind. Open your heart", em tradução livre para o português diz: "Descubra seu cérebro. Domine sua mente. Abra seu coração", é o slogan presente no site de Justine que morreu nos seus 40 anos vítima de um "acidente" cometido por um policial em Minneapolis, a cidade mais populosa de Minnesota, nos Estados Unidos.

Ocorrido

Tudo começou quando ela havia ligado para o serviço de emergência local 911 (semelhante ao 190 no Brasil), às 23:30 para reportar um possível assalto perto de sua região onde havia escutado barulhos de um possível crime, o bairro onde ela reside é muito calmo e de classe média-alta.

Publicidade
Publicidade

Após se aproximar da viatura que foi atender ao chamado, aparentemente ela foi morta ali por um dos policiais. Os policiais nos #Estados Unidos geralmente usam câmeras acopladas em seus uniformes, mas durante o ocorrido as câmeras não estavam ligadas.

Até o presente momento os dois policiais responsáveis foram afastados de suas atividades, a princípio os policiais serão considerados culpados em breve, mas as investigações estão no começo e não existem muitas informações a respeito. O policial presente no banco de passageiro foi identificado como Mohamed Noor. O advogado dele, na segunda-feira (17), confirmou que foi ele quem disparou contra Justine Damond.

Seus planos

Justine tinha marcado seu casamento para o mês de agosto e já utilizava o nome de seu futuro marido "Damond" seu nome anterior era "Justine Ruszczyk".

Publicidade

Ela estudou medicina veterinária na Austrália antes de se mudar para os Estados Unidos. Em seu site é possível verificar que ela era instrutora de ioga e meditação, e já dava aulas há muito tempo.

De uns tempos para cá os Estados Unidos vem sofrendo com esses incidentes policiais que tiram a vida de pessoas inocentes, às vezes por motivos pessoais (racismo, preconceito, xenofobia, etc), e outras vezes por falha humana mesmo.

Desde o ocorrido a imprensa internacional está comprometida a divulgar e expor está notícia para todos, e a América está de luto mais uma vez, os moradores locais e vizinhos fizeram vigílias para homenagear Justine em um gesto de solidariedade à família que está desamparada. Seu pai, em Sydney, John Ruszczyk, disse: "Justine was a beacon to all of us, we only ask that the light of justice shine down on the circumstances of her death." Em tradução livre: "Justine era um exemplo para todos nós, só pedimos que a luz da justiça resolva as circunstâncias de sua morte". #JustineDamond #Violência