O casamento é uma data esperada por muitos. Não foi diferente para Terry Gobanga, uma pastora de uma igreja evangélica local, no Quênia. Ela preparou todos os detalhes de sua cerimônia, mas essa acabou não acontecendo.

O motivo? Ela foi sequestrada e sofreu estupro coletivo na data que era para ser festiva. A história dela foi compartilhada neste fim de semana pela rede britânica BBC. Essa foi apenas uma das tragédias da vida da pastora Terry. Nas duas, ela sobreviveu e no relato como fez isso.

Mulher é estuprada por vários homens antes de cerimônia de casamento

De acordo com a religiosa, o seu enlace matrimonial tinha tudo para ser grande.

Publicidade
Publicidade

Como ela e o futuro marido eram membros da igreja, todas as pessoas estavam lá. Muitos parentes também compareceram.

Mesmo não sendo apoderada em dinheiro, Terry alugou um vestido branco e o seu marido estava a lhe esperar de terno e gravata, mas ela não chegou. Ela diz que, horas antes da cerimônia, ao andar por uma rua, viu um homem sentado sobre o capô de um carro.

Ele a agarrou por trás e a jogou dentro do veículo, que já tinha outros dois homens. Os três então a sequestraram e o que viria a seguir seria ainda mais aterrorizante.

'Me mijei de medo', diz vítima de abuso sexual por três homens em carro, no Quênia

A mulher diz que tudo aconteceu muito rápido. Terry teve um pano amarrado em sua boca. Em seguida, ela levou um soco. Para tentar se defender, ela mordeu o pênis de um dos criminoso e foi aí que levou uma facada na barriga, na região do estômago.

Publicidade

A vítima conta que o seu medo de morrer era tão grande que ela urinou em si mesma e que tinha certeza que não sairia dali vida.

Terry tentou argumentar com os abusadores que ela o dia do seu casamento, mas não adiantou. Eles se revezaram para cometer o ato bárbaro de forma insana.

Vítima é dada como morta e quase para em necrotério

A mulher, após o estupro, foi jogada em uma rua. Uma criança viu a cena e chamou o seu avô, que em seguida ligou para a polícia. Os agentes tentaram ver a pulsação da pastora, mas ela não tinha nenhum batimento.

Ela foi dada como morta. Terry estava a caminho do necrotério, quando tossiu e tiveram que levá-la ao hospital público do Quênia. Ao chegar ao local, vestida de noiva, a mulher despertou o interesse de enfermeiras, que ligaram para as igrejas da região.

A família veio com quase todos os convidados para o hospital. No entanto, todos descobririam que a facada que Terry levou a atingiria no útero. Ela não poderia mais ter filhos, sua segunda tragédia. #Crime #Violência #Investigação Criminal