A polícia do #Vaticano flagrou uma orgia gay na casa do secretário de um dos principais assessores do #Papa Francisco. O apartamento pertence à Congregação para a Doutrina da Fé do Vaticano, que é responsável por abordar o abuso sexual na #Igreja. Quando a polícia apareceu na casa do suposto secretário, eles encontraram várias drogas e um grupo de homens envolvidos em atividades sexuais, de acordo com a imprensa local.

De acordo com o jornal britânico Daily Mail, quem estava vivendo nesse apartamento seria o secretário do Cardeal Francesco Coccopalmerio, um dos maiores aliados do Papa Francisco. O cardeal Coccopalmerio encabeça o Conselho Pontifício de Textos Legislativos, e já teria recomendado, pelo menos uma vez, que seu secretario fosse promovido a bispo.

Publicidade
Publicidade

As informações bombásticas foram reveladas pelo jornal italiano Il Fatto Quotidiano, mas ainda não se sabe o que vai acontecer agora e se o referido secretário, que não está tendo seu nome revelado na imprensa, vai ou não sair do Vaticano. Supostamente, a existência de drogas no apartamento seria o motivo das buscas da polícia, mas para a Igreja também os atos sexuais coletivos e de caráter homossexual deveriam ser preocupantes e motivos de vergonha, ao terem acontecido bem na sede e por algumas das suas mais importantes personagens.

Outros casos de embaraço na Igreja

Esse tipo de escândalo sexual não é inédito na Igreja Católica, nem no Vaticano. São ainda mais preocupantes os rumores e provas de pedofilia e de estupros, como vem acontecendo, em vários países. Recentemente, o Cardeal George Pell, que é o responsável pelas finanças do Vaticano, foi acusado de crimes sexuais, na Austrália.

Publicidade

Pell vem jurando sua inocência e diz estar ansioso pelo dia do julgamento, após dois anos de investigações.

Ele garante que pretende limpar sua imagem, após ter sido ‘’crucificado’’ pela imprensa e por todos, após informações desse processo terem vazado para a mídia. As acusações da polícia não são de conhecimento público.

Vaticano novamente atingido pelo escândalo

Também no Vaticano, este caso não é inédito. Já em março último, o Vaticano foi novamente o centro de vários escândalos sexuais, incluindo prostituição e orgias. Nesse caso, foram vários os padres, por toda a Itália, que tiveram suas atividades desmanteladas, após seus comportamentos ficarem conhecidos.

Essas acusações foram embaraçosas para a Igreja, que tem sido assolada por demasiados casos mais constrangedores. O Papa Francisco já por várias vezes falou sobre as "armadilhas da tentação", mas parece que são vários os padres, bispos e cardeais que continuam caindo e se envolvendo nesses escândalos.

O Vaticano ainda não se pronunciou sobre este último caso, das supostas orgias gays, na casa do secretário do cardeal Coccopalmerio.