Um dos principais líderes oposicionistas da #Venezuela, Leopoldo López, entrou em contato com presidente da República #Michel Temer, por meio de telefonema nesta sexta-feira (14) e fez um pedido considerado "comovente" ao mandatário brasileiro. Vale ressaltar que López encontra-se detido em prisão domiciliar, por determinação do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. A Venezuela já sofre há vários anos com o regime chavista de Maduro.

Há uma escassez de alimentos e itens de higiene básica no país, o que acarretou a vinda de milhares de pessoas que tiveram como opção, cruzar as fronteiras brasileiras em busca de melhores condições de vida.

Publicidade
Publicidade

Os estados brasileiros que receberam um grande contingente de famílias provenientes da Venezuela, são os fronteiriços Amazonas e Roraima. Este último tem recebido um fluxo ainda maior de venezuelanos.

Pedido de ajuda

Durante a realização do telefonema ao presidente Michel Temer, Leopoldo López fez um apelo às autoridades brasileiras para que possam intervir, por meio de oferecimento de ajuda ao povo venezuelano. De acordo com a com mensagem divulgada na rede social do Twitter do presidente brasileiro, o líder venezuelano Leopoldo López, que foi transferido para prisão domiciliar no último sábado, teria demonstrado bastante disposição e firmeza na luta pelo restabelecimento da democracia na Venezuela.

O presidente Temer divulgou uma nota em que afirma que o líder de oposição na Venezuela teria agradecido o apoio do Brasil durante os dias mais difíceis de sua vida em que era mantido no cárcere, segundo as informações do mandatário brasileiro.

Publicidade

Entretanto, o líder oposicionista teria feito um pedido contundente ao presidente brasileiro. López teria sugerido que se concretizasse a criação de um corredor humanitário que fosse disponibilizado para o encaminhamento de remédios e alimentos de primeira necessidade ao povo venezuelano. Temer reafirmou ainda, que o Brasil dá todo apoio à plena liberdade de López e todo o repúdio às prisões que tenham sido caracterizadas como políticas no país vizinho. O presidente da República ressaltou também que o Brasil se encontra ao lado do povo venezuelano e que deve-se respeitar o Estado de Direito, os direitos humanos e a democracia na Venezuela.

A grave crise política e econômica na Venezuela já ocasionou a morte de várias pessoas, inclusive, no último domingo, milhares de venezuelanos que são apoiadores da oposição, foram às ruas de Caracas, capital do país, em comemoração à soltura do líder Leopoldo López e também para celebrar os mais de cem dias de manifestações contra o regime do presidente Nicolás Maduro. #Crise-de-governo