A #Professora de 25 anos chamada Ekatherine Pappas estava trabalhando na Franklin High School em Baltimore nos EUA, dando aulas de espanhol, quando acabou se envolvendo em um grande escândalo no final do ano passado. Segundo informações de vários sites de notícia, ela manteve relacionamento íntimo com um dos seus alunos, um jovem de 16 anos que não teve a sua identidade revelada.

Da confissão, a fuga

Depois de admitir ter tido relações sexuais com o menor, a professora foi condenada à prisão, porém, sua situação que parecia que não tinha como piorar, acabou ficando ainda mais complicada. Uma prova contra ela surgiu, uma que ela nem imaginava que poderia ser entregue a polícia.

Publicidade
Publicidade

Se tratava de um vídeo de um encontro que a professora teve com o #adolescente que teria sido gravado por ela mesma e que mostrava claramente ela mantendo relações sexuais com o menor de idade.

Para a polícia, o rapaz também contou tudo o que havia acontecido e de acordo com o seu depoimento, a professora tinha pedido para que ele faltasse algumas aulas, mais precisamente as dos dias 21 e 22 de dezembro. Nestes dias, ela o levou para a casa dela com o objetivo de fazer sexo.

Toda a situação se complicou ainda mais depois do mês de janeiro deste ano, que foi quando o tal vídeo da festinha íntima entre a professora e o aluno, veio a público e acabou circulando por toda a escola. Foi aí então que a criminosa tentou fugir do país através de um voo com destino a Bogotá, na Colômbia.

A fuga mal sucedida

A tentativa de fuga de Ekatherine foi em vão, pois ela foi detida logo quando havia voltado para os Estados Unidos, algo que ocorreu algumas semanas após o seu embarque.

Publicidade

Ao tribunal, os pais do adolescente escreveram uma carta aonde dizia como estavam profundamente devastados com toda essa situação. Em declaração, o pai da vítima disse que não conseguia explicar o terror que passou depois de ser avisado que o seu filho havia sido seduzido por uma professora e que aparecia em um vídeo de sexo, este que a escola inteira já tinha assistido.

No mês passado, a professora confessou o seu crime que envolvia infrações sexuais. Nesta última segunda-feira (10), ela acabou sendo definitivamente sentenciada a cumprir pena de três anos de prisão. Segundo o que foi noticiado pelo Baltimore Sun, ela ainda deu sorte, pois um juiz resolveu reduzir a pena para apenas um ano, sendo que, mesmo assim, ela deve permanecer fichada como agressora sexual pelos próximos 15 anos. #relação sexual