De acordo com a rede BBC, uma mulher da Nova Zelândia morreu em Sint Maarten (nação e ilha caribenha pertencente ao Reino dos Países Baixos – que inclui ainda Holanda, Aruba e Curaçao) quando foi derrubada no chão pelo forte vento produzido por um Boeing 737 que alçava voo a partir do Aeroporto Internacional Princess Juliana.

O início da pista de decolagem do local fica a menos de 50 metros da praia de Maho, que é muito popular justamente por causa do aeródromo: quando os aviões aterrissam, se aproximam a uma altitude extremamente baixa, causando espanto nos visitantes. No entanto, são as decolagens que atraem mais os turistas, pois nesses instantes eles costumam se segurar na cerca que delimita o aeroporto para que assim possam ser atingidos e "varridos" pela ventania que as turbinas das aeronaves provocam.

Publicidade
Publicidade

A mulher neozelandesa, de 57 anos de idade, estava tentando realizar exatamente essa manobra, mas não foi suficientemente forte para resistir à explosão do vento. Em consequência, ela foi arremessada para trás e acabou batendo a cabeça no pavimento de concreto, o que lhe causou sérios ferimentos.

Paramédicos foram acionados e transportaram a turista ferida para um hospital, mas ela acabou morrendo pouco tempo depois.

Sinais de aviso e perigo

Apesar de existirem várias placas e sinais de aviso na praia de Maho, onde os visitantes da atração turística são alertados para não se aproximem muito da cerca do aeroporto em função do risco que as fortes explosões de vento provocadas pelos aviões representam, algumas pessoas insistem em realizar a manobra que tirou a vida da neozelandesa.

Rolando Brison, diretor de turismo Sint Maarten, afirmou ao site New Zealand Herald que esteve com a família da falecida – cujos integrantes também haviam se posicionado para ser atingidos pela ventania.

Publicidade

Brison disse que eles reconheceram que aquilo que estavam fazendo era errado, e que se arrependeram da imprudente brincadeira "da pior maneira possível".

A polícia local emitiu uma declaração em que reiterou que se desloca diariamente até a área do incidente com o intuito de desencorajar os visitantes "que vêm à ilha para experimentar as emoções" que o local propicia, ressaltando que tentar se segurar na cerca do aeródromo é "extremamente perigoso".

Existem vários vídeo no YouTube mostrando o tráfego das aeronaves no Aeroporto Internacional Princess Juliana, inclusive com os turistas tentando se segurar na cerca. Acompanhe alguns deles:

#Tragédia #Curiosidades #Acidente