Seis jovens adolescentes, com idades entre 15 e 17 anos, acabaram sendo presos no Marrocos. O motivo é grave. Eles estupraram uma deficiente dentro de um coletivo. Um vídeo feito por um dos passageiros mostra tudo.

O que chamou a atenção no caso é que o ônibus [VIDEO] em questão era público e tinha outros passageiros, além do próprio motorista da linha. Ninguém fez absolutamente nada. O máximo que foi feito foi um vídeo, de cerca de 50 segundos, que mostra o abuso. A menina grita, enquanto os estupradores tentam deixá-la nua.

Vídeo de estupro coletivo em ônibus abala o Marrocos e menores são presos

De acordo com informações do site do jornal ‘’El País’’, a vítima é uma mulher de 24 anos, que tem uma deficiência.

Publicidade
Publicidade

A mulher pede socorro, mas nenhum passageiro move uma única palha para defender a jovem, que tem as roupas rasgadas.

A gravação exibe os melhores tirando a roupa e tocando nas partes íntimas da jovem. Eles dão risadas, como se estivessem achando o ato de horror muito engraçado. Já a menor de idade apenas chora com medo.

Estupro à luz do dia e na frente de todo mundo gera indignação no Marrocos

Mesmo com o Marrocos sendo um país extremamente conservador e que, costumeiramente, o abuso é colocado na mulher por não usar vestes ‘’adequadas’’, o caso gerou indignação no país. A revolta é porque a menina em questão era deficiente, estava em um local público e o abuso aconteceu durante o dia, mas ninguém fez nada.

A falta de ajuda gerou reclamações por meio das redes sociais. Ainda assim, a empresa em questão defendeu o motorista e disse que ele não poderia fazer nada rapidamente, sem que sua integridade física não fosse comprometida.

Publicidade

A empresa, identificada como M'dina Bus, diz que os condutores dos seus veículos sofrem constantemente de ameaças.

Vídeo do terror Câmeras de ônibus teriam filmado estupro coletivo no Marrocos

Agora a principal discussão é sobre quando o estupro coletivo teria ocorrido. A empresa garante que tudo foi no dia 18 de agosto. A polícia, no entanto, diz que o ato foi há três meses.

Todos os ônibus no Marrocos tem entre três e quatro câmeras, mas essas ficam guardadas por até, justamente, três meses. Líderes de comunicação no país e ativistas pedem penas mais duras a quem insiste em violar as regras e os direitos da mulher.

Ghita el Bouamri, uma blogueira famosa da região, está convencida de que esse internauta que filmou o caso e não fez nada não é o único, nem o primeiro, nem o último a fazer apologia à violação. #Marília Mendonça #Famosos