A imprensa chinesa divulgou que uma jovem de 26 anos quase morreu durante o ato sexual, após o rompimento de um cisto no ovário. Com fortes dores na região do abdômen e hemorragia, a chinesa Xiao Qing foi levada às pressas para o hospital, sendo detectada perda de cerca de 40% de sangue do corpo da moça.

Segundo os médicos que prestaram socorro a Xiao, a jovem não está grávida, ainda assim foi solicitada uma tomografia computadorizada para verificar a situação da sua #Saúde. Após o exame, constatou-se grande quantidade de sangue e fluidos em seu abdômen e na região pélvica, sendo necessária a submissão a uma laparoscopia diagnóstica, que se trata de uma técnica que permite a visualização direta dos órgãos internos do abdômen e da pelve da jovem.

Publicidade
Publicidade

Em entrevista ao jornal chinês Xiaosiang Morning Post, o médico Huang Mei, do Hospital Provincial da Província de Hunan, informou que a perda no abdômen da jovem foi correspondente a cerca de 1,5 litro de sangue, o que corresponde a 40% do volume do corpo.

A jovem passa bem, segundo as informações de Mei, o médico que atendeu o caso. De acordo com ele, a jovem correria risco de morte, mas teve sorte por ter procurado o hospital logo. Além da perda de sangue, foi detectado outro cisto de 3 centímetros no ovário direito da jovem chinesa, que foi removido com sucesso.

O que são #cistos ovarianos

O ginecologista Luciano Pompei explicou que os cistos ovarianos são uma espécie de bola cheia de líquido que se forma sobre ou dentro dos ovários e que, apesar de muito comuns, não se rompe com tanta facilidade e que o caso da chinesa é raro, já que os cistos não costumam causar hemorragias tão graves.

Publicidade

Sangramentos com grande intensidade, como o ocorrido como caso de Xiao, são mais prováveis quando se trata de gravidez nas trompas, onde a perda de sangue pode levar a paciente a óbito. Já o rompimento do cisto durante a relação sexual pode ocorrer, pois ele se rompe não somente pela atividade sexual, mas também por outras atividades físicas no dia a dia.

Ainda segundo o ginecologista, existem dois tipos de cistos: fisiológico e patológico. O fisiológico se renova de acordo com o ciclo menstrual e são essenciais para a boa produção de hormônios e óvulos. Já os patológicos são aqueles associados aos tumores. Os cistos de cerca de 6 centímetros devem ser retirados, pois provavelmente poderão ser cistos patológicos.

Gostou do artigo? Então, marque os amigos nas redes sociais e siga o nosso trabalho. #diagnóstico