Uma #menina, cujo estuprador saiu em liberdade do tribunal, revelou estar se sentindo "devastada", em uma carta absolutamente poderosa. A menina bebeu demais, desmaiou e foi estuprada por Daniel Cieslak, de 19 anos de idade. No entanto, no tribunal da #Escócia, ele foi ilibado depois que a juíza entendeu que a menina foi "participante ativa", durante o ato sexual. No entanto, a menina, que está sendo identificada apenas como Catherine, diz que acredita que seu agressor fez sexo com ela enquanto ela estava inconsciente.

Ela revelou ter acordado em uma cama estranha em um apartamento, em Edimburgo, e ficou até temendo estar grávida.

Publicidade
Publicidade

Desde então, ela vem fazendo medicação e até tentou pôr um final em sua vida.

Agora com 14 anos, Catherine quebrou finalmente o seu silêncio. Em uma carta emotiva, publicada pelo Daily Record, a menina escreveu: "Daniel disse que não sabia minha idade. Eu quase não lembro daquela noite. Eu tenho flashbacks, imagens desde então".

Ela contou que sabe que desmaiou na sala de estar, durante a festa e que foi Daniel quem a levou. Depois disso, ela só acordou horas mais tarde, em uma cama. "Foi dito que eu consenti, mas como alguém pode consentir quando não pode falar?", contou a menina sempre dizendo que estava inconsciente todo o tempo e que não se recorda de nada.

"Antes disso, eu era confiante, feliz, sempre tive um sorriso no meu rosto sem tentar. Eu sofro de ansiedade, depressão, tomo comprimidos para me ajudar a dormir.

Publicidade

Eu até tentei me suicidar porque quase não conseguia aguentar tudo isso", escreveu.

A carta é publicada agora com a permissão da mãe da menina, que pode ser nomeada apenas como Christine, que ficou furiosa com a decisão da juíza Lady Scott de não punir corretamente Cieslak.

Daniel havia se declarado culpado de uma acusação de estuprar uma menina com menos de 13 anos no Tribunal Superior de Glasgow, em fevereiro. Porém, no mês seguinte, Lady Scott lhe deu uma descarga absoluta, o que significa que ele escapou de um castigo significativo, depois de ouvir que ele acreditava que sua vítima tinha 16 anos.

A mãe de Catherine revelou ainda que a menina se sentiu culpada, por muito tempo, dizendo para todos que a culpa era sua, que não deveria ter ido nessa festa com sua amiga. Esta decisão do tribunal deixou ela se sentindo mais afetada ainda, uma vez que o jovem saiu sem qualquer punição. "Não importa a idade que ela parece.

Publicidade

O que aconteceu com ela não foi consensual", contou a mãe.

Christine explicou porque sua filha estava em uma festa, nessa sexta-feira à noite. A mãe explicou que a amiga da filha tinha dormido em sua casa na noite de quinta e que Catherine iria dormir na casa da outra menina, na noite seguinte: "Falei com os pais da menina e tudo parecia bem". No entanto, as meninas acabaram saindo de casa com um primo da outra garota e foram em uma festa, em um apartamento, onde tudo aconteceu.

Veja a carta que Catherine escreveu:

#Juiza