O casal Toni Reis e David Harrad [VIDEO]não sabia que passaria por uma verdadeira Via Crucis quando decidiram batizar seus três filhos em uma Igreja Católica. Mesmo após quatro paroquias de Curitiba se negarem a realizar a cerimônia, o casal, preocupado com a formação religiosa de sua família, decidiu entrar em contato com o arcebispo Dom José Antonio Peruzzo. Este, após ouvir o relato dos dois autorizou o batizado das crianças rapidamente. De fato o batismo aconteceu em abril, mas a maior surpresa só chegou na ultima segunda-feira, dia 8 de agosto, quando eles receberam uma carta de agradecimento vinda diretamente do Vaticano.

Segundo Toni, que tem 53 anos e trabalha como professor, ele e seu marido, após enfrentarem essas dificuldades em batizar seus filhos, resolveram montar um dossiê relatando tudo que estavam passando e enviaram ao #Papa Francisco, pois acreditavam em sua benevolência.

Publicidade
Publicidade

Para ele, que é católico desde criança e ativista de direitos humanos, saber que o Pontífice soube de sua história foi uma sensação incrível.

Na carta, que é assinada por Monsenhor Paolo Borgia, assessor para assuntos gerais do Vaticano, dizia que o Papa sentiu grande admiração e estima por eles. No texto, Francisco concluiu também desejando bons votos a família. O texto foi publicado na integra no perfil pessoal de Toni no Facebook.

Essa não é a primeira vez que o casal enfrentou dificuldades em seu caminho. Justos há mais de 27 anos, Toni Reis, brasileiro e David Harrad, que é cidadão inglês, só puderam se casar no ano de 2011 quando o Supremo Tribunal Federal reconheceu a união estável de pessoas do mesmo sexo. Outro percalço foi para conseguir adotar um filho, fato esse que só conseguiram após um processo que durou exaustivos sete anos e também só foi decidido no STF.

Publicidade

Com isso, eles acabaram se tornaram o primeiro casal homossexual [VIDEO] a conseguir adotar uma criança no Brasil e também, consequentemente, criando uma jurisprudência para que outras pessoas na mesma situação conseguissem.

Segundo Toni, foram Alyson de 16 anos, Jéssica de 14 e Felipe de 11 (que são irmão biológicos) que decidiram seguir os votos católicos. A escolha foi feita após uma conversa onde o casal apresentou três opções a seus filhos: não ter nenhuma religião, escolher uma ou esperar até que completassem 18 anos de idade para tomar uma decisão. Em relato, Reis diz que nada foi imposto, eles apenas seguiram o desejo das crianças.

#Gays #Papa Francisco