Negligenciado pelo presidente norte-americano, #Donald Trump, o #Aquecimento Global preocupa os cientistas. De acordo com um relatório federal sobre o aumento do clima, elaborado por 13 agências dos Estados Unidos, obtido com exclusividade pelo jornal New York Times, nesta segunda-feira (7), o país é um dos mais afetados pelas mudanças. Segundo os pesquisadores, há 40 anos a elevação da temperatura é constatada de forma significativa nos EUA [VIDEO]veja as manchetes.

Eles comentam que desde 1980 as ondas de calor extremo são mais frequentes.

Publicidade
Publicidade

Contudo, em contrapartida, as ondas de frio extremo diminuem cada vez mais. Para os cientistas, não há dúvidas sobre a influência dos gases de efeito estufa nas temperaturas globais, ao contrário do que pensa Donald Trump [VIDEO].

Um pesquisador envolvido no trabalho, cujo nome foi ocultado pelo New York Times, revela um aspecto preocupante a respeito do assunto. Diz temer que o estudo aprovado pela conceituada Academia Nacional de Ciências, com prazo final para divulgação em 18 de agosto, seja suprimido pela administração do republicano.

O receio do estudioso tem fundamento. Afinal, Donald Trump, sempre que fala sobre o tema, demonstra opinião conflitante acerca da realidade do aquecimento global. Para ele, as mudanças climáticas são um “engodo”, uma mentira que visa impulsionar os ideais liberais (entenda democratas).

Publicidade

Resultado de um estudo elaborado por profissionais de 13 agências federais, os documentos relacionam a elevação das temperaturas à atividade humana. De acordo com o New York Times, a Casa Branca e a Agência de Proteção Ambiental evitaram tecer comentários sobre o relatório.

A favor do retrocesso

Uma das primeiras medidas de Donald Trump ao se tornar presidente, foi reverter os regulamentos assinados por Barack Obama a respeito da redução dos gases atrelados ao efeito estufa.

Em maio deste ano, por exemplo, fez questão de mostrar ao mundo que estava rompendo com o acordo climático internacional (Acordo de Paris), onde os #EUA estão obrigados a reduzir a emissão desses gases em 26%.

Contudo, a nação mais poluente do globo não pode simplesmente deixar de cooperar. O contrato assinado pelo então presidente Obama exige que o país cumpra as regras por um período de três anos, antes de abandonar o tratado.

Ou seja, até 2019 o mundo está a salvo das insanidades de Donald Trump. Todavia, até mesmo ele admitiu, em julho passado, enquanto esteve numa reunião com o presidente francês, Emmanuel Macron, a possibilidade de mudar de ideia e manter o Acordo de Paris.

Ao que tudo indica, essa ‘’novela’’ ainda terá muitos capítulos.