Donald Trump mandou mais um aviso à Coreia do Norte [VIDEO]. Nesta sexta-feira (11), o presidente dos #Estados Unidos informou que o país já está com as armas prontas para atacar. Pyongyang acusou Trump de caminhar para uma guerra nuclear, enquanto o mundo acompanha preocupado, esta troca de acusações e ameaças.

Através de seu perfil no Twitter, Trump vem causando uma 'guerra verbal', enquanto a KCNA, na #Coreia do Norte, divulgou uma nota afirmando que o presidente norte-americano é culpado por esse clima que está se instalando entre os dois países e os demais envolvidos diretamente.

De acordo com a declaração de #Donald Trump, "soluções militares estão totalmente preparadas, guardadas e carregadas" e vai agir se a Coreia do Norte não for prudente.

Publicidade
Publicidade

Essa forte declaração foi dada logo após o presidente norte-americano dizer que vai atacar Pyongyang com 'fogo e fúria'.

James Mattis, secretário de Defesa dos Estados Unidos, achou melhor tentar amenizar a situação e em uma entrevista afirmou que os Estados Unidos vai tentar uma abordagem diplomática, para conter a ameaça norte-coreana, uma vez que a guerra nuclear seria 'catastrófica'.

Apesar das palavras duras de Donald Trump, a Coreia do Norte não se mostra intimidada, pelo contrário, já avisou que os Estados Unidos sofrerão uma 'derrota vergonha e condenação final', se continuarem incentivando as sanções contra o país e fazendo pressão. A agência KCNA chegou a divulgar um comunicado afirmando que os militares irão acabar com os provocadores que tentam sufocar a Coreia do Norte.

Trump está preocupado com as ameaças que estão sendo feitas de um possível ataque à ilha de Guam, onde estão várias bases norte-americanas no Oceano Pacífico.

Publicidade

Para os jornalistas, o presidente dos Estados Unidos disse que tudo vai depender da forma como a Coreia do Norte agirá, pois se fizer qualquer coisa contra Guam, sofrerá as consequências, como nenhum outro país já viu antes.

A Coreia do Norte poderá usar quatro mísseis Hwasong-12, com poder de médio alcance, para atingir a ilha de Guam. Estes mísseis passariam por Hiroshima e Koichi, que ficam no Japão e em seguida acertariam o alvo.

Alguns especialistas tentam tranquilizar a todos, alegando que nenhum dos dois países têm interesse em uma guerra nuclear, mas o mundo está cada vez mais preocupado com o que pode acontecer e a troca de acusações entre os presidentes só tem deixado o clima ainda mais tenso.