Segundo o que foi divulgado por diversos meios de comunicação, a americana Lisa Theris, uma #Jovem de 25 anos, ficou 28 dias perdida dentro de uma floresta que se situa em Midway, no Estado do Alabama, #Estados Unidos. Conforme ela contou em diversas entrevistas, ela foi para lá depois de ter fugido de bandidos.

Depois de passar tal ‘temporada’ na floresta, a jovem, ex garçonete do Hooters, [VIDEO] perdeu 22 kg. Sobreviveu apenas se alimentando de frutinhas, de cogumelos e bebendo água de poças. A vítima foi encontrada no dia 12 de agosto, quando um motorista a avistou. Pelo que ele conta, a moça estava sem roupas, cheia de feridas e picadas de insetos pelo seu corpo.

Publicidade
Publicidade

Estava muito debilitada e magra e por isso, foi encaminhada para uma unidade de saúde para ser tratada.

Alguns dias após ter sido salva, Lisa foi até um programa de TV para contar a sua história. Chegou a mostrar marcas e cicatrizes referentes ao período em que esteve perdida na floresta e reafirmou a sua história onde conta que se perdeu quando estava fugindo de alguém.

Recentemente, a polícia do Alabama, que estava investigando o seu desaparecimento, acabou descobrindo novos fatos sobre o que realmente teria acontecido com a jovem. Eles souberam de detalhes que modificam tudo o que Lisa contou, incluindo novas aventuras e suspeitas contra a própria vítima. Tudo isso, eles contaram para o jornal britânico ‘Daily Mail’.

A grande revelação e a verdadeira história

Depois de apurado o caso, foi constatado que Lisa havia consumido uma droga chamada metanfetamina. [VIDEO] Tal entorpecente é muito forte, pesado e causa graves alucinações.

Publicidade

Além disso, as autoridades também descobriram que a moça já tinha um histórico criminal por ter cometido desordem pública poucas semanas antes de ter se perdido no mato.

A polícia também acredita que Lisa tinha envolvimento com traficantes. Eles não desacreditam a história que ela contou em relação ao que fez para sobreviver, mas acham que ela pode ter omitido alguns detalhes.

Antes de sumir, a americana estava com dois homens, Manly Davis e Randy Oswald, que confirmaram que a jovem tinha usado a #droga antes de ter sumido. Segundo o xerife responsável pelo caso, Raymond Rodgers, a moça já estava chapada e via alucinações quando entrou e se perdeu no bosque. Agora, o que ele não sabe, é se ela levou mais drogas para consumir posteriormente.

Oswald, um dos homens que disse que estava com Lisa antes dela se perder, assumiu também ter usado a metanfetamina e disse que estava tão alucinado que chegou a acreditar ter visto Davis atirar na cabeça da jovem. Já Davis disse que viu Oswald colocar o corpo da moça em um saco de lixo e depois o jogar dentro de um rio.

Publicidade

Antes de tudo isso, os dois homens planejavam roubar um abrigo de caça e por isso, Lisa teria se afastado deles. Motivo este que teria levado a dupla a querer se livrar da garota, como foi o que contaram os policiais.

Nas proximidades do tal abrigo, os policiais não encontraram corpo algum, mas descobriram que o local realmente havia sido roubado pelos homens, isso mesmo drogados. Ambos assumiram ter usado a droga e afirmaram que Lisa também havia usado a mesma naquela noite.

De vítima para a suspeita

Antes de Lisa ser encontrada, Oswald e Davis eram os principais suspeitos [VIDEO]do seu desaparecimento. Depois que foi encontrada e interrogada, ela negou que tinha usado drogas. Ela passou um mês perdida, rodando em círculos na floresta que fica à apenas 1,6 km da estrada aonde foi resgatada.

De acordo com um dos oficiais, a moça só entrou na mata porque estava desorientada, foi isso que a fez tirar a roupa e ficar totalmente perdida por esse longo tempo. Pelo que apuraram, a moça teria começado a se drogar logo após a separação do namorado, que ocorreu em fevereiro deste ano, fato este que foi confirmado pelos pais dela. O pai, Bill, disse ainda que a sua filha é bipolar e cega de uma vista por conta de uma doença, e deixou a família e o namorado para viver com viciados em Louisville.

Depois de tais revelações, a jovem não quis dar depoimentos referentes ao caso, disse estar se recuperando, fraca, debilitada e com febre. Os policiais afirmam que não há provas suficientes para acusar a jovem pelo furto, pois ainda há apenas suspeitas, por isso não podem prendê-la, mas mesmo assim as investigações devem continuar.