Niels Hoegel, de 40 anos, voltou às manchetes de todo o planeta nesta segunda-feira (28), quando a polícia da Alemanha, após mais de uma década de investigação, que incluiu exumação de cadáveres, concluiu que ele matou pelo menos 84 pessoas.

Todas elas eram pacientes de Niels Hoegel, um simples #Enfermeiro, que agora é considerado o maior #serial killer (assassino em série) da Alemanha desde o final da Segunda Guerra Mundial. Niels está preso desde o ano de 2015.

Niels Hoelgel, o enfermeiro do mal, teria matado 84 pacientes para ter aprovação dos colegas

O caso aconteceu nas cidades de Delmenhorst e Oldenburg, na Alemanha.

Publicidade
Publicidade

O enfermeiro começou a ser investigado ainda no início dos anos 2000, quando os próprios colegas estranharam o grande número de "ressuscitações" que aconteciam nos plantões do alemão.

Ele, na verdade, dava drogas para estimular uma situação de emergência e, em seguida, mostrar que era capaz de fazer uma ressuscitação. Tudo para provar que era melhor do que os colegas ao conseguir uma ressuscitação.

Número de mortos por Niels Hoegel, enfermeiro serial killer da Alemanha, pode ser maior

O enfermeiro foi preso em 2015. Naquele período, ele confessou que foi o causador da morte de dois pacientes através de overdose. Niels sempre agia da mesma forma. Ele dava uma droga que fazia o coração da vítima parar ou acelerar demais e, em seguida, tentava salvar essas pessoas, chamando a atenção de todo o hospital.

Publicidade

Algumas pessoas, é claro, acabaram morrendo durante a empreitada. Ele tinha sido condenado à prisão perpétua pelos dois crimes, mas, desde então, a polícia investiga casos similares. Os policiais acreditam que o número de mortes seja bem maior.

Enfermeiro matava pacientes em hospital por aprovação de colegas na Alemanha; pelo menos 84 morreram

Em entrevista coletiva, o chefe da investigação, Johann Kuehme, disse que ficou chocado durante a exumação dos corpos. A conclusão é que o homem teria matado pelo menos 84 pessoas.

O número foi comprovado através de autópsias feitas em centenas de cadáveres que foram pacientes do enfermeiro. O número de falecimentos poderia subir, mas nunca as autoridades vão saber da precisão disso, já que na Alemanha a cremação é muito popular.

'Estamos sem palavras', diz chefe da polícia ao falar sobre o enfermeiro assassino Niels Hoelgel

Johann Kuehme disse que a atitude do enfermeiro era realmente terrível e que qualquer balanço poderia levar a um número ainda maior. Ele disse estar sem palavras.