Publicidade
Publicidade

O #Protesto ocorreu ontem à noite (11) e segue causando polêmica e indignação em todo o mundo. O protesto seguiu com uma multidão carregando velas e propagando seu discurso de ódio contra vários grupos vítimas de preconceito, como homossexuais, imigrantes e negros.

O que significa e quem são os “alt-right”

O termo gera controvérsia na mídia e veículos de comunicação. “Alt-right” é a abreviação de alternative right, que seria direita alternativa, em tradução livre. Designa um movimento que se desenvolve no nacionalismo branco, e ganhou força com a eleição do presidente Donald Trump [VIDEO]. O conceito atualmente é associado a neonazismo, homofobia, islamofobia entre outros grupos de ódio.

Publicidade

Curiosamente gostam de se expressar usando memes de redes sociais para se expressar. O grupo desfila com tochas como o Ku Klux Klan e representa ameaça e suas manifestações quase sempre terminam em violência.

Sobre os protestos

Charllotesville é a cidade onde fica a Universidade da Virgínia, com pouco menos de 50 mil habitantes, e foi considerada por muitos anos o melhor lugar para se viver nos #Estados Unidos. A cidade foi escolhida como palco dos protestos quando anunciou que pretende retirar a estátua de Robert E. Lee de um parque. Robert E. Lee foi um oficial americano conhecido por ser o líder do Exército da Virgínia do Norte durante os eventos que se desenrolaram durante a Guerra Civil.

Os participantes afirmaram que o ato tem intenção de ser um aquecimento para unir a Direita americana, e vai acontecer hoje novamente, contando com a participação de mais de mil membros dessa extrema-direita.

Publicidade

O evento contará também com os principais líderes de grupos direitistas americanos.

Robert E. Lee fez parte dos Confederados, que eram a favor da independência para não precisarem abolir a escravatura de suas terras e, para afirmar que são contra o que esses “heróis” pregavam, várias cidades querem remover as estátuas que os homenageiam nas cidades como figuras históricas. Essa retirada está revoltando os americanos mais conservadores, que estão organizando protestos enfurecidos como o que ocorreu ontem.

O protesto terrível defendia abertamente ideias preconceituosas e criminosas, onde alguns afirmavam ser nazistas e odiar judeus no ápice de suas loucuras. Repetiam frases como “Os brancos é que importam” e que não iriam ser substituídos pelos imigrantes, que também são o alvo dessas pessoas.

Estudantes da Universidade de Virgínia, em sua maioria negros, se autoproclamavam “antifascistas” e saíram com intenção de fazer se colocar em fila para formar uma parede humana e impedir o avanço dos alt-right, que iam em direção a estátua do antigo general, e a polícia queria ao máximo evitar a tensão, pois os protestantes estavam gritando “Fogo” enquanto se aproximavam dos estudantes.

Publicidade

Algumas tochas foram disparadas da multidão de alt-right e foram recebidas com spray de pimenta dos estudantes.

Os grupos chegaram a entrar em combate e a polícia interveio, junto com ambulâncias para socorrer os feridos. Os policiais gritavam à multidão que a manifestação era ilegal, mas não parece que efetuaram prisões. #Trump