Publicidade
Publicidade

Grávida de 6 meses, Fernanda Pereyra, 26 anos, foi morta [VIDEO] a golpes de machado e teve o corpo carbonizado durante ritual satânico, perpetrado pelo ex-namorado Luciano Hernandez, e seus dois amigos Osvaldo Castillo e Diego Marillan, todos adeptos do satanismo, conforme declarações da polícia à imprensa da #Argentina.

Segundo os investigadores, o cenário do assassinato [VIDEO] foi pensado de forma meticulosa, com objetivo de retratar a crença dos marginais no ocultismo.

Publicidade

A garota, cujo corpo virou cinzas e só pode ser identificado devido a um colar, morreu em um terreno baldio no km 6 da Rota 6, e ela estava grávida de 6 meses. O caso aconteceu perto do município de Rincon de los Sauces.

Autoridades conjecturaram que as circunstâncias do #homicídio envolvendo o número 6, resultando em 666, tenha sido uma mórbida homenagem ao ‘tinhoso’. Jornais dos Estados Unidos e da Inglaterra também reportaram o crime. Confira as manchetes.

No entanto, a polícia descobriu que eles têm conexão com o tráfico de drogas e cultuam o santo padroeiro dos narcotraficantes, conhecido como San La Muerte, a versão masculina da Santa Muerte, venerada no México por marginais e assassinos.

Publicidade

Na casa onde os deliquentes viviam, investigadores também encontraram imagens de uma entidade relacionada à religião afro-brasileira (Quimbanda), conhecida como “Exu Destranca Rua”. Além disso, recolheram uma ovelha no pátio da residência, que possivelmente seria sacrificada.

A mídia argentina salientou que a vítima foi assassinada durante cerimônia envolvendo as duas figuras.

“Os pesquisadores acreditam que a vítima foi submetida a um ritual envolvendo San La Muerte, o santo dos narcotraficantes, e Destranca Rua, entidade relacionada à Quimbanda”, reportou o periódico UNO Santa Fe.

Autoridades relataram observar, na casa dos criminosos, músicas satânicas, desenhos do diabo e de tridentes.

Publicidade

Como forma de devoção extrema, os corpos dos satanistas ainda estampavam tatuagens demoníacas e mulheres em chamas.

Uma versão alternativa do assassinato aponta que Fernanda Pereyra morreu devido ao fato do ex-namorado descobrir que o filho era de outra pessoa. Como vingança, ele aproveitou para executá-la, oferecendo-a como sacrifício às entidades sombrias por ele cultuadas.

A polícia continua a investigar o caso. Todavia, cultos satânicos são comuns em vários países da América Latina, como a Bolívia, onde animais são sacrificados diariamente na “Curva do Diabo”, estrada que liga as cidades bolivianas de La Paz e El Alto.

Infelizmente, não há informações sobre a data do julgamento dos envolvidos, mas é provável que eles passem anos atrás das grades. #Bizarro