Publicidade
Publicidade

Ainda que a palavra “Apocalipse” dramatize além da conta o cenário global atual, o Havaí (#EUA) se prepara para um possível início do ‘fim do mundo’, impulsionado pelos mísseis nucleares de Pyongyang.

Após as tensas ameaças entre #Donald Trump e Kim Jong-un, e o agravamento das tensões na península coreana, o estado arquiteta medidas para avisar a população de um hipotético ataque nuclear.

Embora uma batalha entre as duas nações seja improvável, uma recente declaração ao grupo midiático RT, de Toby Clairmont, membro da Agência Federal de Gestão de Emergências (FEMA, sigla em inglês), mostra como o estado se prepara para um eventual conflito.

Publicidade

Conforme Clairmont, um míssil balístico intercontinental lançado da Coreia do Norte leva 20 minutos para atingir o território. Nesse contexto, a população de cerca de 1,4 milhão de habitantes, é alertada cinco minutos após o disparo.

Os quatro minutos iniciais envolvem ativação de sirenes e envio de mensagens por telefone, no rádio e televisão, para que todos os habitantes tomem ciência da ocorrência. Todavia, autoridades estimam o tempo de reação em apenas dez minutos.

Nesse cenário, não há um local seguro para os moradores se abrigar. De acordo com o membro da FEMA, em caso de bomba atômica, é “cada um por si e Deus por todos”.

Publicidade

“As pessoas teriam cerca de dez minutos - que não é muito- para se esconder em um edifício, em um estacionamento ou mesmo deitar no chão antes que o impacto ocorra ", diz Toby Clairmont.

Depois de descobrir os planos de Pyongyang em atacar as instalações militares na ilha de Guam, território administrado pelos Estados Unidos [VIDEO], na Micronésia, que em 1941 pertenceu ao Japão, mas foi conquistado pelos norte-americanos em 1944, após o país vencer a Batalha de Guam, o Havaí decidiu se precaver.

Até o momento, não há indícios de que Kim Jong-un cumprirá suas promessas de “acabar com os Estados Unidos”. No entanto, especialistas em segurança criticaram as declarações de Trump, sobre responder as provocações de Pyongyang usando os mesmos argumentos do lunático ditador asiático.

Na época (semana passada), o Republicano disse que os Estados Unidos estão com o arsenal nuclear modernizado, pronto para entrar em ação, se necessário.

Durante entrevista a jornalistas em um clube de golfe, em Nova Jersey, o temperamental Donald Trump também declarou que irá retaliar a Coreia do Norte com “fogo e fúria [VIDEO]”, numa velada #Ameaça nuclear.

Ao que parece, o mundo está “à beira de um ataque de nervos”. Salve-se quem puder!