Uma jovem revelou que ela foi vítima de violência sexual praticada pelo próprio pai, por mais de 5 mil vezes desde que ela tinha apenas 3 anos de idade. Segundo a vítima, o #acusado, após cometer o crime, se desculpava, dizendo que ele a amava muito. A vítima, identificada como Abadia Hessing, de 23 anos, de Manchester, nos Estados Unidos, sofreu agressões sexuais praticadas pelo pai, Mark Hessing, de 57 anos, mais de 10 anos. Em outubro de 2015, o pai da jovem foi considerado culpado de 13 acusações de agressão sexual [VIDEO] contra a vítima. Inicialmente, ele foi sentenciado a quatro anos de prisão, mas devido ele ter recorrido da sentença, foi condenado novamente, desta vez a 8 anos de cadeia.

Publicidade
Publicidade

Abadia agora decidiu contar a sua história com a esperança de que ajude outras vítimas do abuso sexual contra crianças. Segundo a jovem, quando ela tinha dois anos, seus pais se divorciaram e, desde estão, ela passada a semana morando com sua mãe, identificada com Karem, e nos finais de semana com o seu pai, Mark. A jovem relata que, no começo, os fins de semana com o pai eram uma maravilha. Ele sempre fazia de tudo para agradá-la. Mas, com o passar do tempo, ela foi crescendo e o suspeito começou a violentá-la.

"Papai costumava me levar para o quarto dele. Ele me colocou na cama e subiu em cima de mim. Ele me tocou e me fez tocar nele também”, disse a vítima. Segundo a jovem o acusado a levava para o parque com pretexto que ia brincar com ela, mas, em vez disso, ele a estuprava [VIDEO].

Publicidade

"Eu não sabia que estava errado. Eu pensei que era o que todos os pais faziam isso”, disse a jovem. Abadia relata que o pai dizia para ela que ninguém acreditaria nela, caso ela contasse o que tinha acontecido para alguém. Ele afirmou que, quando fosse mais velha, não haveria provas.

"Eu não queria incomodá-lo. Eu nem sequer temia vê-lo. Eu pensei que ele me tocou porque ele me amava. Foi o que ele me disse e eu era muito inocente para saber o contrário", acrescentou. Hessing relatou que, quando ela completou 13 anos, em 2007, os abusos pararam. Ela admitiu: "Eu desejei carinho dele [VIDEO]e não entendi por que ele estava me tratando de forma diferente. Eu queria que os homens me tratassem como papai porque era tudo o que eu sabia. Tentei bloquear minhas lembranças, mas quando envelheci, os flash backs tornaram-se tão intensos. Eu tive um pesadelo recorrente que eu estava fazendo sexo com meu pai”.

A jovem disse que estava se sentindo uma inútil. Quando ela completou 18 anos, ela denunciou a pai. Ele foi #preso, mas foi liberado após pagar uma fiança. Em outubro de 2015, o acusado compareceu no tribunal, negando 13 acusações de agressão indecente. A vítima conseguiu provar em um vídeo que ela era abusada pelo pai. Ele foi condenado em março de 2016 a 4 anos de prisão. O suspeito recorreu e foi condenado novamente desta vez há 8 anos de cadeia. #Polícia