Publicidade
Publicidade

Casos de estupro coletivo têm chocado o mundo inteiro. Recentemente, uma jovem deficiente foi abusada dentro de um ônibus, no Marrocos, como informaram veículos de comunicação local. No entanto, muitas vezes o abuso não ocorre e a vítima está, na verdade, contando uma grande mentira.

Foi o caso de Jemma Beale. A jovem garota afirmou que tinha sido abusada sexualmente, mas esse crime nunca teria acontecido. A imprensa mundial agora repercute a grande reviravolta no caso.

Mulher conta que foi estuprada por 9 homens, mas mentira é descoberta e ela presa

De acordo com informações do jornal ‘’O Globo’’, após a farsa do estupro que não aconteceu ser descoberta, a jovem acabou sendo condenada.

Publicidade

Ela terá de cumprir dez anos de cadeia.

Apenas para relembrar o caso, a jovem disse que foi estuprada por nove homens ao sair de um pub em Middlesex, na Inglaterra. A condenação da jovem foi por perjúrio, que é quando você fala algo que não é verdade. Ela teria distorcido tudo o que aconteceu e a Justiça descobriu a farsa.

Mulher de 25 anos não foi estuprada e ainda é presa após farsa vir à tona

A informação foi disseminada inicialmente pelo jornal britânico Metro. A mulher tinha 25 anos, quando tudo aconteceu. O caso vem se perdurando desde o ano de 2010, quando a jovem disse que foi a uma espécie de bar na Inglaterra e sofreu um #Estupro coletivo, mas a sentença saiu somente agora.

Um dos acusados, identificado como Mahan Cassim, chegou a ser detido em agosto do ano de 2012. Na época, ele foi condenado a sete anos de detenção.

Publicidade

Homem chegou a ser preso por estupro coletivo que nunca aconteceu

Jemma dizia piamente que a violência teria acontecido após ir a um pub. A história foi se tornando cada vez mais surreal e, por isso, as autoridades decidiram investigar tudo a fundo.

Um dos homens, temendo ser preso, chegou a fugir da Inglaterra. Ele é Noam Shazad. Os demais homens nunca chegaram a ser indiciados, mas tiveram que ficar sob o radar tenso da polícia.

Mulher revelou que foi estuprada por ser lésbica e que abusadores queriam ensiná-la a gostar de homem

O caso repercutiu ainda mais porque a mulher garantiu que o abuso apenas aconteceu porque seria lésbica e que os abusadores da cidade de Isleworth queriam ensiná-la a ser mulher.

Os detetives da Metropolitan Police reabriram o caso e apuraram tudo o que havia acontecido. A inglesa, mais tarde, confessou que inventou tudo e que foi aumentando cada vez mais a própria mentira.

E você, o que achou disso tudo? Deixe o seu comentário. #Estupro que marcou