Na República Dominicana, um estranho caso está chamando todas as atenções para uma pequena aldeia. Uma em cada 90 crianças nascidas em Las Salinas, na província de Barahona, nasce com uma condição rara e quando atingem a #puberdade, elas se transformam de meninas em meninos. A doença genética rara se chama guevedoces, que significa #Pênis aos 12, ou seja, essa doença faz com que aos 12 anos, as meninas fiquem com um pênis [VIDEO]e virem meninos. A rede britânica de TV BBC foi até essa aldeia e entrevistou alguns jovens que têm essa estranha condição, resultando em um documentário inacreditável.

Johnny: 'Não gostava de vestir roupas de menina'

Essa desordem rara está sendo retratada na série da BBC Countdown to Life: The Extraordinary Making of You.

Publicidade
Publicidade

Para o documentário, a equipe de TV falou com alguns jovens, incluindo Johnny (foto abaixo), anteriormente conhecido como Felicita. Ele contou que nasceu sem pênis e sempre foi criado que nem uma #menina. Ele recordou que sempre ia de vestido para a escola. No entanto, ele contou que nasceu em casa, e não no hospital, o que significa, que seu sexo não foi avaliado por qualquer médico. "Me lembro de usar um vestido vermelho", disse Johnny, recordando uma de suas lembranças de infância.

Porém, Johnny conta que nunca gostou de se vestir com essas roupas de menina e diz que preferia brincar com os meninos e com brinquedos de menino. "Eu nem ligava", diz ele sobre quando ganhava bonecas.

Enzima explica erro no órgão no nascimento

De acordo com o jornal The Sun, essa condição genética que Johnny e outros jovens sofrem é causada pelo desaparecimento de uma enzima, que interrompe a produção de um hormônio sexual masculino, a dihidro-testosterona, ainda durante a gestação.

Publicidade

Isso significa que os meninos vão nascer como meninas. Porém, quando a testosterona começa a aumentar ao atingir a puberdade, eles veem crescer o órgão reprodutor sexual masculino. [VIDEO]

O desenvolvimento deveria ter ocorrido na barriga da mãe, mas só vai afetar essas crianças 12 anos depois. O médico Michael Mosely estava entre aqueles que visitaram Las Salinas como parte do seriado da BBC. Escrevendo no jornal The Telegraph, Mosely disse: "Guevedoces também são, às vezes, chamados de 'machihembras', que significa primeiramente uma mulher, e depois um homem".

O médico explicou que quando nascem, eles parecem meninas e até parecem ter uma vagina. Somente quando estão perto da puberdade , é que "o pênis cresce e os testículos descem". Depois da puberdade, os guevedoces vão viver o resto de suas vidas como homens, apesar de sua próstata ficar sempre menor.

Julianne Imperato, uma endocrinologista de Cornell, foi a primeiro a estudar guevedoces, e também ela viajou para a República Dominicana, na década de 1970.

Publicidade

Seus estudos foram aproveitados pela farmacêutica Merck para criar uma medicação que ainda hoje é usada para tratar doenças de próstata e de calvície masculina.